Psicologia - 16/03/2005
Frustração




Como você reage diante das frustrações da vida? Sonhos que não se realizam, planos que não dão certo. Faz um planejamento e, de repente, algo acontece e muda o curso dos acontecimentos.

Desde o início da vida, estamos sujeitos às frustrações. A mamadeira que demora, o brinquedo que cai no chão. São os primeiros estímulos que treinam o cérebro a reagir diante de certas situações. Cada criança reage à sua maneira diante das frustrações. Geralmente, é a birra. Pede o brinquedo. A mãe não pode comprar e a criança frustrada rola no chão e faz uma escandalosa birra. O meio ambiente e a educação também determinam como crescerá essa criança. Se a mãe mudar de idéia e comprar o brinquedo para evitar a desconcertante reação do filho, será o início de um pequeno desastre. A criança birrenta saberá que suas vontades serão satisfeitas quando fizer birra. Toda vez que se sentir frustrada, vai fazer uma cena. Poderá ser uma pessoa com baixo índice de tolerância a frustrações. Será sempre imatura e inconsistente, com um psiquismo frágil.

Agora, se a mãe não reforçar a birra da criança, fazendo todas as suas vontades, estará formando a personalidade do seu filho. Conversando com a criança, estabelecerá um vínculo. Melhor do que bater ou então gritar para evitar a birra. E, nem sempre uma punição educa. Tudo tem que visar o equilíbrio. Pais muito repressores podem desenvolver em seus filhos doenças psicológicas ou medo excessivo. Serão adultos inseguros, medrosos e infelizes. Sempre ouviram um não!

O meio ambiente também nos ajuda na formação da personalidade. Algumas crianças nascem em lares abastados. Tudo vem muito fácil. E o que vem muito fácil , não é valorizado.

Outros, nascem em lares pobres ou mesmo miseráveis. Alguns, açoitados pelas necessidades constantes, formam a couraça da maturidade e da perseverança. A luta e a frustração fortalece a personalidade dessas pessoas. Vencem as dificuldades e acabam se sobressaindo no meio social ou profissional. Outros não. Podem escolher a marginalidade, o crime e a violência.

O que nos diferencia dos outros? Há também nossa essência espiritual. Partindo da reencarnação, que é a crença nas vidas sucessivas, tudo tem sua razão de ser. A pessoa renasce várias vezes na Terra, até a perfeição. Dependendo de suas vidas sucessivas, pode vir com um determinado Karma. Se foi muito orgulhosa e materialista, pode reencarnar num lar pobre. Aprenderá com as sucessivas frustrações a desenvolver certas qualidades e burilar algumas imperfeições. Cabe a ela, com seu livre arbítrio, traçar uma vida de vitórias ou fracassos.

A frustração não deve ser encarada como uma emoção ruim. No entanto, a forma como lidamos com ela, é que determina a maturidade do nosso espírito.

Quando desejamos alguma coisa devemos refletir sobre que fim nos move. Quais os valores que nos estimulam a lutar por alguma coisa na vida? Em certos momentos, precisamos abrir mão de algo pra conseguir outra coisa. Nem sempre são objetos, conquistas materiais, mas conquistas espirituais. Devemos diferenciar teimosia da perseverança. O homem perseverante sabe para onde está indo, porque e para que. O teimoso apenas deseja.

Somos imediatistas. Queremos tudo na hora! Interessante a reflexão do terapeuta Paulo Gaudêncio: quando entregamos uma semente a uma pessoa imatura, o que ela fará? Em vez de plantar a semente e esperar pela semeadura e colheita, ela comerá a semente. Por que? Para obter compensação imediata.

Através de certas frustrações amadurecemos bastante. Não é uma sensação agradável, mas dependendo de nossas reações ante a adversidade, poderemos vencer as barreiras. Poderemos escolher entre fazer birra como um bebê manhoso ou então, aceitar a realidade.

"Por que a minha vida é assim? Sofrimento, atrás de sofrimento? Ah , eu não agüento isso... ah, como eu sofro!"- queixou-se uma mulher de cinqüenta anos. Podemos também escolher a queixa como um caminho para a satisfação imediata. Através da queixa, teremos colo e apoio. No entanto, se for excessiva poderá afastar as pessoas. As queixas não resolvem problemas.

"Tenho raiva dos meus pais. Eles são os responsáveis pelos meus sofrimentos. Por que se separaram? Acabou minha boa vida. Nunca perdoarei meu pai!"- afirmou, um jovem de 24 anos, desempregado. Responsabilizar o destino e os outros por nossos fracassos é sinal de imaturidade. Se esse jovem se responsabilizasse pelas próprias escolhas, mudaria de vida. Não percebe que a história do seu aparente fracasso foi determinada por suas próprias escolhas e atitudes. Desistiu dos estudos, após um semestre de faltas. Nenhum emprego o satisfaz. Não luta por aquilo que deseja, mas apenas responsabiliza a separação dos pais por sua vida.

"Quero morrer! Não posso agüentar tanto sofrimento!"- disse uma jovem, quando levou um fora do namorado. Se essa moça persistir nas emoções de tristeza e pesar, poderá fazer uma depressão.

Não é fácil encarar as frustrações, as perdas impostas pela vida, as tragédias. Dizem: "Pior do que as grandes tragédias, são as alfinetadas do dia a dia." Algumas pessoas, parecem ter uma aura que as fortalece. Sofrem, choram, mas se erguem. Vergam, mas não quebram. E, muitas vezes, enfrentam grandes tragédias. Sua recuperação é esplendida. Seu otimismo é contagiante. São espíritos evoluídos, maduros. Quanto mais madura a pessoa for, mas tirará de letra os obstáculos da vida. Minha supervisora da cadeira de psicologia afirmava: " o homem precisa aprender a diferenciar os seus verdadeiros limites daqueles que impõe a si mesmo."

Não devemos menosprezar nossa capacidade de enfrentar a vida e lutar por nossos sonhos. Mesmo quem obtém tudo com facilidade tem que manter o que foi conquistado. Tudo é muito dinâmico nesse mundo. Nada fica como está.

Muitas vezes, o que desejamos demanda tempo, trabalho e esforço. Às vezes, o que desejamos com muita intensidade, poderá nos causar grandes sofrimentos.

O valor da esperança e da fé conta muito. O otimismo é uma força maior que nos impele para a frente. Jamais desistir de lutar.

Na hora da crise e da frustração é natural a tristeza, o pesar. A raiva também é uma emoção permitida. No entanto, desde que nos leve para a frente. Aumente sua garra e vontade de vencer e não prejudique as pessoas. Algumas pessoas ficam muito amargas depois de um grande sofrimento. São o reservatório de espinhos. Aqueles que chegam perto são atingidos. Se você observar que a tristeza e a raiva permanece por muito tempo, pode ser um sinal de que está precisando de ajuda. Um colo amigo, o conselho dos pais ou ajuda profissional poderão ajudá-lo a passar pelos momentos mais difíceis.

Acreditar numa Força Superior é um refrigério nas horas difíceis. Saber que, espíritos amigos estão sempre presentes nos momentos de sofrimento e frustração, é tranqüilizante.

Acredite em você mesmo sempre e lembre-se! Nada acontece por acaso!

"Quando a noite está mais escura é que está perto de amanhecer."

A vitória é certa se você se esforçar no auto-aprimoramento. Encare a vida de frente, com a certeza de que tudo passa...


Sandra Cecília

 

Copyright © 2003-2009 Relax Mental
Sandra Cecília / Renato Augusto - Relax Mental - desde 13 de junho de 2003