Psicologia - 30/06/2004
Como você vive o agora?

Você vive todos os minutos da sua vida?

Como está sua concentração? Já parou para pensar como vive sua vida? Você vive no seu tempo? Dependendo da situação dá um pulinho no passado? Ou dá asas à imaginação e vai para o futuro? Quando toma o café da manhã no que você pensa? Na briga do final de semana, na recordação das férias inesquecíveis ou fica atenta ao momento atual?

Você sabia que a concentração no momento presente pode fazer diferença em sua vida? Não? Claro! Está lendo este texto agora. Para aonde foi sua imaginação? No passado ou no futuro? Está concentrado nas linhas do texto?




Maria Luiza estava fazendo amor com o marido. Lençóis macios, música gostosa no rádio, mas sua mente estava muito longe. De repente, começou a pensar no dia de amanhã. Precisava fazer supermercado e pagar as contas no banco. Na hora H, Maria Luiza não sentiu orgasmo. O momento de intimidade perdeu-se. O encanto acabou!

Alguns casais precisam pensar em outras pessoas na hora do amor. Débora, 27 anos, pensa num ator de televisão quando faz amor com o namorado. Jefferson, (35 anos) pensa em Sharon Stone quando está na cama com sua mulher. Então, as fantasias prejudicam a vida sexual? Não, mas tudo tem seu momento apropriado. É mais fácil fugir de uma situação, dando asas à sua mente, do que resolver a causa do desinteresse do momento atual. Não são as fantasias que nos prejudicam, mas como lidamos com o momento atual. A fuga e a protelação prejudicam a qualidade de vida. Nesses casos, a imaginação se tornou uma potente aliada para fugir do tédio ou de um relacionamento frustrante. É uma fuga do momento presente e não um recurso para aquecer este momento.

Júlia, secretária, está diante do microcomputador no escritório da empresa. De repente, sua mente fantasiou uma praia deserta. Fantasiou tanto que teve que refazer seu trabalho.




A imaginação é uma poderosa aliada em nossa vida. Tudo começa em nossa mente: planos, objetivos, metas e solução de problemas. No entanto, é preciso que você esteja presente; vivendo em seu tempo. Atento ao agora. Este pode ser o segredo de uma vida produtiva.O equilíbrio deve ser preservado sempre em todas as situações. Quem vive somente no presente e não planeja o futuro pode se frustrar bastante. Quem vive somente no passado, sofre duas vezes. O passado é um momento que foi embora. Você não pode trazê-lo de volta. Recordar sofrimentos é atrair uma avalanche de emoções ruins como: raiva, tristeza ou frustração. Aquele que vive no futuro, cultiva emoções inúteis. A imaginação vai longe demais e ele não vive o momento atual.

Você já se concentrou no momento atual? Refletiu ? Observou? Se está recordando momentos infelizes ou martelando frustrações, repense. Preste atenção em tudo que já tem, nos afetos que já cultivou, nas realizações conquistadas. Se está tomando um suco de laranja geladinho, concentre-se no suco de laranja. Se está sofrendo por causa de um aborrecimento, não finja que está tudo bem. Sofra na hora de sofrer, ria na hora de rir e recorde na hora de recordar. Recordar momentos felizes não é patológico, mas viver só de recordação não facilita a vida.

Viver um dia de cada vez é saudável e relaxante. Utilize a sua imaginação ao seu favor em todos os momentos. Algumas pessoas não conseguem parar. Não querem recordar o passado e nem planejar o futuro. Parar pode ser penoso. Uma dona de casa com mania de limpeza evita parar. Se ela parar um pouco pode não gostar de lidar com o tédio, frustração e baixa auto-estima. Enquanto ela está em atividade, protela as emoções. No entanto, você não pode fugir de você mesmo. Precisamos parar para balanço. Reciclar as energias. Avaliar situações do passado para construir um bom futuro.

Comece devagar trabalhando a sua concentração. Palavra adequada: equilíbrio. Tempo: hoje. Passado: aprendizado para novas lições do presente. Futuro: o que você fizer do presente.

Concentre-se em cada atividade que fizer. Faça-as com amor.




Lúcia está lavando pratos. Uma atividade rotineira e detestável para a jovem. Ela se concentra nos pratos sujos. Faz a tarefa com certa perfeição. Canta uma canção enquanto lava os pratos e sente prazer quando vê a espuma e as bolhas se formando. De vez em quando, pensa no encontro que está próximo. Fábio, seu namorado, virá buscá-la mais tarde. Este pulinho no futuro a deixou eufórica. Voltou a atenção para os pratos. Cantarolou nova música. Desfecho: pratos impecavelmente limpos, Lúcia alegre e bem humorada.




Tereza está lavando pratos. Uma atividade rotineira. A pia abarrotada. Tereza se concentra nos pratos sujos e dá um longo suspiro. Franze o cenho e pensa: " Poderia estar numa praia.. e estou aqui! Minha vida é um desperdício". A frustração a deixou mais revoltada. Conclusão: quebrou dois pratos. Frustração gerou mau humor. Mau humor transformou a sua tarefa em penoso sacrifício. Quando o marido de Tereza chegou em casa encontrou uma mulher enfurecida:

"Não vê que eu não estou legal? Por que não fica no meu lugar?"- protestou Tereza.




Roberta está lavando pratos. De repente, sua mente foi para o futuro e deu um salto para trás no passado. Puxa! Como era bom quando podia pagar uma empregada! Este pensamento frustrante provocou uma emoção de raiva e frustração. Ainda pensando no passado, Roberta largou a louça suja e foi dormir. Bem, a louça pode esperar... No entanto, às vezes a protelação não é boa conselheira.




E você como lida com as situações? Ou não prestou atenção no texto? Volte agorinha mesmo para o presente! Podemos ser felizes com muito pouco. Nossas emoções determinam nossa vida exterior. Nosso inferno ou nosso Paraíso. Algumas coisas podemos modificar, outras não. No entanto, o momento presente é muito fugaz.... E ele está passando justamente agora. E aí neste momento, o que você poderá fazer para mudar sua vida para melhor? Ah, nada pode mudar por enquanto? Então, aceite o momento e dê um pulinho no futuro com a lente da esperança. Volte correndo para o momento atual... e se sentirá melhor.


Sandra Cecília

 

Copyright © 2003-2009 Relax Mental
Sandra Cecília / Renato Augusto - Relax Mental - desde 13 de junho de 2003