Psicologia - 05/06/2004
O Jogo dos Pensamentos




Toda semana, Maria, uma menina de 10 anos, acompanhava a mãe à casa de uma amiga. A senhora Léa era uma ótima anfitriã. A visita terminava com um lanche gostoso no final da tarde. Maria adorava os bolos, doces e o leite quente com chocolate.

Numa bela tarde de terça-feira, Léa encerrou a visita apenas com um cafézinho. A mãe de Maria pensou :

"Hoje, não vai ter bolo! Por que será?"

Maria pensou, mas falou:

- Dona Léa,não vai ter lanche hoje?- perguntou Maria em sua espontaneidade infantil.

A mãe da criança olhou para Maria com ar de censura. A partir daquele dia,a criança aprendeu que no mundo dos adultos, havia um segredo. Você pode pensar à vontade. Exprimir seus pensamentos... bem, lá isso é outra coisa!




José, 42 anos, chegou atrasado ao escritório. O ônibus atrasou. Entrou em sua sala para mais um dia de trabalho. Dez minutos depois, entra seu chefe. Tinha um ar sério, cenho carregado e olhar de censura:

- José, você está atrasado há mais de meia hora!- criticou.

José ficou desconcertado e pensou:

- Ora, seu chato! Você não sabe o que é ficar espremido dentro de um ônibus quase uma hora... Aliás, você nem sabe o que é ônibus e o que é esperar quase uma hora por um !. Você não sabe de nada....... e é chefe!

Ele pensou, mas não falou exatamente o que pensava:

- Desculpe, Sr.Francisco. A condução atrasou......engarrafamentos, cidade grande......o senhor sabe como é...

- Saia mais cedo de casa!- sugeriu o patrão, encaminhando-se para a porta.

José pensou:

- Mais cedo de casa?!!!! Ora.......seu idiota, vestido de chefe!

José falou:

- Prometo que não acontecerá mais!




Vania ganhou um lindo presente do namorado. Um linda jóia, um par de brincos. pensou:

- É lindo, mas eu pensei...... que fôsse ganhar minha aliança de noivado! Ainda não é desta vez!

- Você gostou, meu amor? - perguntou o namorado. - Se não gostou, pode me falar que eu troco.

- A.......do........rei, amorzinho!- sapecou um beijo no namorado.




Juliana, 17 anos, pergunta à mãe:

- Mãe, por favor, marque uma consulta com a doutora Célia!

- Por que? Você está doente, filhinha?- perguntou a mãe preocupada. Doutora Célia era médica ginecologista.

- Nada, mãe! Tenho muitas cólicas durante a menstruação... Ah.. não precisa me acompanhar, vou com a Tetê.- Tetê era sua melhor amiga.

Juliana pensou:

- Preciso conversar com a doutora Célia! Fernando não quer mais usar camisinha..... então, vou ter mesmo que tomar pílula!

A mãe de Juliana perguntou com ar desconfiado:

- Eu sempre acompanhei você ao médico... Por que não posso ir?

Juliana pensou:

- Ah, mãe, não começa.. com sua investigação... não tem nada a ver.

Juliana falou:

- Mãe, a senhora é muito ocupada... e também, já sou bem crescidinha...

- Não sei não... Aconteceu alguma coisa, Juliana? -perguntou a mãe.




Inspirada no lindo filme "Do que as mulheres gostam" estrelado por Mel Gibson , refleti sobre o seguinte. Já pensou se todos nós, homens , mulheres e crianças tivéssemos o poder de adivinhar os pensamentos? Como seria o mundo se pudéssemos adivinhar o pensamento alheio?

Ah, os pensamentos! Nosso maior segredo. Podem investigar toda a nossa vida, nosso trabalho,tudo, mas ninguém chegará perto dos seus pensamentos. Seu maior segredo: sua mente! Ela é uma caixinha mágica onde tudo acontece: idéias, pensamentos, sugestões.

Quando somos crianças, a espontaneidade é nossa aliada. Falamos o que pensamos. Somos vivazes, alegres e assertivos. A castração da nossa assertividade começa dentro do lar. Aprendemos com o meio, com a influência das pessoas próximas, escola, religião, que nem sempre podemos falar o que pensamos. Nosso lado infantil dorme e acorda o adulto.

A educação, os modos, também conferem um verniz, uma máscara ao nosso ego. E, por aí, vem as mentiras, as hipocrisias...

Como podemos conciliar nossos pensamentos com as ações? Onde está o verdadeiro equilíbrio para a saúde mental?

O equilíbrio é pensar, sentir e agir harmonicamente.

José mantém um forte ressentimento contra seu chefe. O medo de perder o emprego o inibe de falar umas boas verdades para o patrão. Ele pensa à vontade. Pensa em enforcar o chefe, pensa em ganhar na Senna e chegar no serviço, com ar vitorioso:

- "Quero minhas contas, seu idiota disfarçado de chefe! Não preciso mais da porcaria deste escritório!"- são as verdades que gostaria de desabafar com seu chefe...se ganhasse na loteria.

Em cada pensamento, a mágoa e a frustração. José pode disfarçar as palavras, colocar tudo num pacote da boa convivência , da formalidade e educação. No entanto, sempre será um homem frustrado. Os pensamentos serão sua verdade maior. Conviverá com eles toda a sua vida. Há uma resposta para José? Há uma saída? A convivência com pensamentos reprimidos gera consequências. O organismo é o espelho da mente! José detesta o que faz. Trabalha porque precisa! Ele poderia encontrar saídas para sua frustração. Em vez de projetar no chefe suas frustrações ou ressentimentos, poderia procurar soluções positivas.Talvez, mais tarde, o seu corpo fale mais alto. Seu organismo poderá encontrar formas de afastar José desse trabalho frustrante. Uma gripe, uma laringite... dores no corpo.. Serão a resposta do seu organismo às falhas no pensar, sentir e agir. No entanto, se ele pegar estes pensamentos de frustração e mágoa e moldá-los... encontrará uma saída mais saudável. Ex: outro emprego, melhores respostas para conviver com este chefe, estudar mais para encontrar novas formas de ganhar dinheiro......enfim, muitas possibilidades.

Algumas pessoas são mais livres. Falam o que pensam, doa a quem doer. No entanto, não pensam que podem magoar o outro, ferir ou deixar uma marca indelével na pessoa. Neste comportamento espontâneo está faltando uma boa dose de equilíbrio. Seja espontâneo, mas fique no caminho do equilíbrio. Não faça aos outros o que não gostaria que fizessem a você.

Vania está apaixonada pelo namorado e pensa em se casar. Sonha com o casamento. Afinal, são cinco anos de namoro firme! O namorado não sabe o que ela pensa...Vania tem receio de falar sobre seus sonhos de matrimônio e o homem escapar para bem longe. O que fazer então? Este casal vive um relacionamento franco e sincero? Vania não expressa o que pensa por receio. No entanto, mais cedo ou mais tarde, sua mente a trairá. Numa discussão fútil, num dia infeliz, "sem querer", o pensamento da Vania poderá dar uma escapadinha e parar em outro compartimento: o da fala.

"- Ora, você não quer nada sério comigo mesmo! Não adianta!"- desabafará num dia infeliz.

Um dia, pode escapar esta frustração. Nossos pensamentos querem uma forma de se expressar livremente. Mais cedo ou mais tarde, eles querem dar uma escapadinha e mostrar nossa essência. As pessoas mais saudáveis conseguem conviver espontâneamente com os pensamentos, sentimentos e ações.

Algumas pessoas racionalizam todos os sentimentos. Acham justificativa para seu medo de agir ou de pensar. A própria essência escapa das suas mãos. Precisam de um espelho para mostrar o que realmente são. Outras, vivem uma vida de mentira... Pensam uma coisa e são outra. O complexo de superioridade mascara pensamentos de incapacidade e insegurança. E, aí vem algo muito grave. Algumas pessoas vivem no mundo da mentira. Mentem a vida toda. Criam para si um castelo feliz! No entanto, os pensamentos....... escapam um dia, revelando a vida falsa.

Alguns casais têm uma sintonia mental muito boa. Um parece ler o pensamento do outro ou então adivinhar o desejo do ser amado. São tantas as afinidades, o carinho, que este relacionamento é espontâneo e sincero.

Para conviver com o outro é preciso muita sensibilidade. Esta sensibilidade não é a capacidade de adivinhar o pensamento do outro, mas da percepção dos seus sentimentos e gostos.

Como podemos conviver com as pessoas? Como confiar no outro, se os pensamentos são secretos? Nossa maior intimidade não poderá ser revelada. Nosso instrumento eficaz: amor, a sensibilidade, a tolerância.

Telepatas têm um dom especial. Parecem entrar dentro do pensamento do outro." Mas, e daí? Não sou telepata. O que eu faço? Não sei. Acho que meu namorado não é sincero!Acho que minha amiga mente para mim". Bem, a intimidade da essência alheia é secreta. No entanto, a pessoa poderá revelar o caráter e a natureza dos seus pensamentos através das suas atitudes. Elas revelam grande parte dos seus pensamentos.

Quando nossos pensamentos são nobres, podem receber grande Inspiração Divina e se transformar em Atos Maravilhosos de Caridade, Invenções, Projetos Sociais.

Você, pare de prestar atenção no outro e olhe para dentro de si. Estou falando "para dentro". O que você vê? O que você pensa,está de acordo com seus sentimentos e ações? Você é verdadeiro consigo mesmo? Você se conhece o suficiente para saber quais são seus verdadeiros limites e o seu potencial?

Como você enxerga o outro é o espelho de como você se vê.

Refletimos no espelho da vida, os reflexos dos nossos próprios pensamentos. Estes pensamentos atraem as pessoas e até os acontecimentos.

Seja sensível! A sensibilidade poderá ser nossa aliada no modo como tratamos os outros. Se ele não é sincero, o problema é dele. Você é sincero? Você é assertivo?

"Sou sincero com todo mundo, justo e autêntico... e só ganho ingratidão."

Alguns justificam sua infelicidade desta maneira. Faça uma faxina nos seus pensamentos. Precisa-se da vassoura do auto-conhecimento, da humildade e da auto-estima.

Faça um balanço diário dos seus pensamentos e atitudes. Se está havendo por aí uma grande mentira... pare para pensar.

A mente aceitará todas as suas mentiras, disfarces, vernizes sociais....... mas cobrará um alto preço: sua paz íntima e a saúde mental. A vida sem paz é intolerável!

Pense nisso!


Sandra Cecília

 

Copyright © 2003-2009 Relax Mental
Sandra Cecília / Renato Augusto - Relax Mental - desde 13 de junho de 2003