Psicologia - 18/03/2004
Síndrome do Pânico

Lúcia chegou em casa pálida e trêmula. Correu para a cozinha para chamar a mãe. Eram 21 horas e chegara muito cedo da faculdade.

- Mãe, aconteceu aquilo de novo!- contou a jovem de 24 anos.

- Aconteceu o quê, minha filha?- perguntou a mãe aflita.

- Estava na sala assistindo as aulas, quando comecei a me sentir mal... aquilo de novo... aquele ataque. Uma forte dor no peito, não parava de tremer.. e achei que fôsse morrer.- Lúcia falava apressadamente.- Mãe, achei que fôsse mesmo morrer... Que agonia, que sensação horrorosa de medo!

- Filha, mas.. de novo?! Tivemos que voltar da praia às pressas, por causa daquele seu "faniquito". Você foi ao Pronto Socorro... pressão normal, coração normal... Filha, que doença será essa?

- Mãe, não aguento mais ficar assim! Meus colegas riem... e fazem chacotas..dizem: chii.. a Lúcia vai ter a "coisa" de novo...

- Você já foi em todos os tipos de médicos.. não sei mais o que fazer- desabafou a mulher assustada. Não entendo! Você está um pouco pálida... mas não noto nada de anormal.

- Mãe, um amigo meu.... disse que isso é caso de Psiquiatra! Mãe, será que ele pensa que estou ficando louca?

- Ai, meu Deus! Isso não! Psiquiatra não!




O transtorno do Pânico tem tratamento e melhora em aproximadamente de 6 a 8 semanas. Medicamentos adequados associados à Psicoterapia são eficazes no tratamento da Síndrome. Geralmente, as pessoas desconhecem a Síndrome e enfileiram os consultórios de médicos cardiologistas, clínicos gerais, etc, por causas dos sintomas do Pânico. Eles variam de pessoa para pessoa. Algumas sentem calor excessivo, suor, dor ou aperto no peito. Outras, frio, sensação de desmaio. Acreditam estar sofrendo de males cardíacos ou com alguma doença. A família pode ajudar ou atrapalhar a pessoa com transtorno do Pânico. Algumas pessoas falam:"Isso não é nada, é só nervoso mesmo!" "Reaja, você tem enfrentar o medo!" "Isso é fricote, porque você não tem nada!" Dependendo da reação da família ou amigos, a pessoa poderá desenvolver também sintomas depressivos.

Um medo intenso e repentino acomete o homem ou a mulher. Independe de idade ou sexo.

A falta de tratamento para o Transtorno do Pânico pode limitar muito a vida da pessoa. Ela evita os locais, porque teme novas crises de Pânico. As crises geram mal estar, são desconfortáveis, mas quando passam a pessoa nada mais sente. Os sintomas vão embora!

Algumas depressões podem estar associadas ao quadro de Síndrome de Pânico.

A pessoa com crises de Pânico deve procurar um Médico Psiquiatra ou um Psicoterapeuta. Os profissionais de Psicologia não receitam remédios. Podem tratar a pessoa com Psicoterapia adequada à cada caso. Só um médico pode receitar medicamentos.




Lúcia foi ao Médico Psiquiatra e descobriu que seus ataques eram a Síndrome do Pânico. Medicada convenientemente e tratada com Psicoterapia, suas crises amenizaram depois de seis semanas. Depois de 3 meses, sua vida voltou ao normal.

Hoje em dia, os preconceitos ligados aos tratamentos psiquiátricos e psicológicos amenizaram um pouco. As pessoas estão mais informadas. Algumas pessoas associam tratamento psicológico e psiquiátrico com "loucura". E, hoje em dia, este termo já está bem ultrapassado.

Se você tem tido ataques de pânico procure ajuda profissional. Se você não procurar tratamento sua vida ficará muito limitante. Evite o preconceito e procure se informar para saber diferenciar a natureza dos seus sintomas.

Hoje em dia, o Transtorno do Pânico não é mais um Bicho de Sete Cabeças, mas antes que ele se torne ... um Monstro de Terror em sua vida...fique aliviado.. Existe tratamento!

Boa Sorte!


Sandra Cecília

 

Copyright © 2003-2009 Relax Mental
Sandra Cecília / Renato Augusto - Relax Mental - desde 13 de junho de 2003