Psicologia - 10/02/2004
Decisões

Como você age diante da vida e das situações? Costuma ser indeciso, vacilante ou inseguro? Os dias passam e as promessas nem sempre são cumpridas. Por que? Por que é tão difícil para nós mudar nossos hábitos e, às vezes, lutar por nossa felicidade?

Seria ótimo se viesse tudo pronto em nossa vida: o emprego, o bem estar, a saúde, o novo amor, a felicidade intensa. Num estalar de dedos, tudo mudaria para melhor. O medo de arriscar pode prejudicar nossa vontade. Medo de sofrer, se a escolha não for adequada. Afinal, o futuro dá medo. Acomodar-se a uma situação nem sempre boa para nossa vida, evita enfrentar o desconhecido.

Acho que a felicidade não vem pronta e tem que ser merecida. No entanto, ela existe sim e pode ser encontrada. Na medida que fortalecemos nosso espírito com auto-estima, auto-confiança, trabalho e otimismo, tudo pode mudar e muda......... para melhor!

Como está sua capacidade de tomar decisões? Nas decisões, há um fortalecimento da confiança, da mente e da nossa essência interior. A pessoa está mergulhada em dificuldades, mas ela sabe o que deseja, sabe para onde quer ir. Prossegue em seu caminho, lutando sempre e sobrepuja as dificuldades.

Quando você não sabe o que quer, fica tudo mais difícil, não acha?




Lúcia é uma moça jovem e interessante. Os cabelos estavam pintados de castanho acobreado. Escorriam pelos ombros, lisos e finos. Ela queria mudar o corte e o estilo. Estava indecisa, não sabia o que fazer. Telefonou para a mãe:

- Mãe, estou querendo cortar o cabelo e clarear mais... Quero mudar meu visual !. O que a senhora acha? Além disso, meu namorado vive olhando para as mulheres de cabelo bem curtinho.

- Cortar o cabelo comprido ? O que é isso, filha? Não vai ficar bem para você. Nada de clarear os cabelos! Ficará vulgar.- sugeriu a mãe.

A jovem deu um longo suspiro e a sugestão da mãe ficou martelando em sua cabeça : "Minha mãe disse que cortar o cabelo não vai ficar bom para mim. Será? " Mirou-se várias vezes no espelho e sentiu-se a mais sem graça das mulheres. Telefonou para a melhor amiga:

- Taís, to querendo cortar o cabelo. Sabe, bem curtinho mesmo, talvez fazer umas luzes. Minha mãe acha que não vai ficar bem.......... Ai, meu Deus! - desabafou cheia de dúvida.

- O que é isso, mulher? Corte, bem curtinho. Nada de luzes! Clareie pra valer!

- Clarear?!!!!!!!!Será?

- Ficará lindo e você vai chamar mais a atenção.- disse a amiga.

- Então, quer dizer que não chamo a atenção?!!!!!!!!- Lúcia estava cada vez mais insegura.

Durante uma semana , consultou todas as amigas, e no final de semana, nada havia decidido. Sentia-se insegura e insatisfeita com sua aparência. Mesmo vacilante, optou pela sugestão da sua melhor amiga. Cortou o cabelo e clareou. O namorado foi a primeira pessoa que a viu de corte novo. Meneou a cabeça e disse:

- Lúcia, por que cortou seu cabelo? Tá louca? Não gosto de mulher de cabelo curto!

Lúcia protestou:

- Puxa, André, você me disse que adorava o cabelo curto e sensual da Meg Ryan. Eu quis fazer uma surpresa. Meus cabelos estão claros como os da artista. Minha amiga disse que ficou lindo! E você sempre olhou para as mulheres de cabelo curto.

- Acontece, Lúcia, que você não é a Meg Ryan!.E sempre gostei do seu cabelo comprido!-justificou-se o rapaz.

Lúcia aprendeu a lição. Deixou o cabelo crescer. Dois meses depois, escolheu um corte moderno, mas não consultou a opinião das outras pessoas. Aprendeu a tomar suas próprias decisões.



b
Em alguns momentos de nossa vida, às vezes, precisamos de conselhos ou até uma orientação. Quando estamos confusos, com medo ou mesmo para ouvir outra opinião. No entanto, somos responsáveis por nossas decisões. Ninguém pode decidir por nós. Temos que nos responsabilizar por nossas escolhas .Senão , seremos como um barco sem rumo, que está à mercê da tempestade e dos ventos.

Como fortalecer nossa personalidade? Tudo começa em nossa infância, o meio ambiente, o lar, a influência dos pais, da escola. Crianças que são muito reprimidas por pais autoritários podem desenvolver certa insegurança no decorrer da vida adulta. Costumam consultar os pais e a família em todas as questão, desde as mais simples. Se alguém decide por mim, a responsabilidade é da pessoa. Dessa forma, não crescemos. Durante uma vida toda, nos comportamos como uma criança. Depois, na adolescência, o grupo de amigos. Assim, nossa personalidade se aperfeiçoa com nossas experiências e nossa educação. No entanto, temos algo muito importante e especial: nossa essência espiritual. Essa é nosso verdadeiro eu. Se ouvimos nossa essência, seremos sempre assertivos. Quando não agimos de acordo com essa essência interior, começamos a sofrer.

Comece com as pequenas decisões: corte de cabelo, cor da roupa, estilo de se vestir. Aos poucos, a gente se fortalece com nossas decisões. Temos algo maravilhoso que é nosso livre arbítrio. Exercer a nossa vontade é uma forma de expressar o que há de especial em nós. Algumas pessoas têm dificuldade para dizer não. Querem sempre agradar às pessoas e vivem uma vida obscura e infeliz.

Permita-se também ter dúvidas e questionamentos. No entanto, evite se deixar levar pela "onda" ou pelo momento. Permita-se às vezes, precisar de uma orientação ou um empurrãozinho, afinal você não é um super homem ou super mulher. Se você tomar uma decisão e se arrepender não se sinta fraco. Aprender com as decisões constrói um psiquismo mais forte e saudável. A decisão envolve equilíbrio, estabelecimento de objetivos e também, evitar a dor e procurar a felicidade. Toda pessoa que está no limite da sua dor, decide de forma mais drástica. Está no fundo do poço e a dor impulsiona o ser humano.

Confie no seu taco! Confie também no imenso poder que está dentro de você.

Já percebeu que seu dia é feito de "decisões"? O que comer no café da manhã, o que fazer, que roupa vestir... Assim, aprendemos a selecionar o que é bom ou ruim para nós. Aprendemos a separar o que é nosso e o que é do outro. Não seremos uma "Maria vai com as outras" e estaremos mais preparados para enfrentar a vida com o que ela tem de bom ou ruim.

Aprendemos no dia a dia a selecionar o que é útil e valioso para nós.

Tomar decisões podem nos levar à vitória. Nas decisões, nosso destino é traçado.

Escreva suas metas num papel e se esforce para realizá-las. O ímpeto natural é resistir contra as mudanças. Afinal, mudar nem sempre é fácil. Deixar de fumar, praticar um esporte, mudar de casa, tudo requer esforço e coragem. Viva um dia de cada vez! Não faça planos a longo prazo. Pegue sua decisão e a divida em pedacinhos. Ex: Decidi comprar uma casa. Primeiramente, comece a averiguar que tipo de casa você quer e suas possibilidades financeiras. Assim, saberá lidar com a frustração caso seu sonho demande algum tempo para ser realizado. Saber lidar com a frustração nos fortalece para uma mudança de rumo caso seja necessária.

Seja você mesmo sempre! Seu poder de decisão aliado à fé, ao trabalho e otimismo pode modificar sua vida para melhor.


Sandra Cecília

 

Copyright © 2003-2009 Relax Mental
Sandra Cecília / Renato Augusto - Relax Mental - desde 13 de junho de 2003