Relacionamento - 30/10/2004
Traição

Traição no Relacionamento amoroso




O amor de um homem e mulher evolui num crescendo, à medida que a confiança se fortalece. A entrega de corpo e alma amadurece o sentimento de respeito. Uma troca positiva de carinho, atenção e responsabilidade. Amor sem comprometimento, amizade e companheirismo não vinga. O Amor não é estático. Ele depende de uma série de fatores, das nossas emoções e comportamentos, para se manter vivo. Nessa fase, a relação do casal começa a fluir de uma maneira estável. O homem ou mulher pode investir no relacionamento e confiar na pessoa amada. Investir no relacionamento significa maior comprometimento. Envolve fazer planos, estabelecer metas entre o casal e até partir para algo mais sério: morar juntos, montar uma casa, casamento ou então, construir uma família.

No entanto, nem sempre é assim. De repente, " a quebra da fidelidade prometida e empenhada" destrói ou ameaça o relacionamento. Sofrimento e decepção. O ser amado traiu nossa confiança e nos trocou por outra pessoa. "Por que? Por que me trocou por outra pessoa, se eu o amava tanto"? Não há como generalizar a causa da traição. Cada caso é um caso. Pode-se sinalizar alguns motivos sérios que podem comprometer o relacionamento a dois.

Alguns casais não se dão conta da precariedade da sua relação a dois. Vivem juntos, mas não há mais convivência. Vivem juntos, mas não convivem mais. Dois estranhos na mesma casa. Falta diálogo, tolerância e vontade de mudar. De repente, um dos cônjuges, descobre que foi traído. Vem a decepção: "Como ele pôde fazer isso comigo?" E, assim, o traído faz papel de vítima sofredora e passiva. No entanto, será que também não tem culpa no desgaste da sua relação afetiva?

Os homens, às vezes, traem para experimentar novas aventuras. Sabem separar sexo de amor. Convivem aparentemente muito bem com a esposa e a amante. Esposa: a dona de casa e a mãe dos seus filhos. Amante: paixão, aventura, gosto pelo proibido. As mulheres também traem. No entanto, elas se envolvem mais emocionalmente. Costumam se apaixonar e sofrer muito com o triângulo amoroso.

O que os homens mais temem é que suas mulheres façam sexo com outros homens. É essa idéia da posse do corpo da sua amada, que os horroriza. Nas mulheres, geralmente, o receio é de que seu marido ou seu namorado se apaixone por outra mulher. Elas podem até perdoar uma traição. No entanto, precisam ter certeza de que foi somente uma aventura passageira. No homem, o perdão é mais difícil. O homem atual ainda tem muito do comportamento machão. Disse-me alguém: "O homem é assim mesmo, nunca é fiel.. Mas a mulher... Não se perdoa a traição de uma mulher!" No mundo atual, essa concepção machista foi amenizada, mas ainda existe.

"A oportunidade faz o ladrão".- diz o ditado popular. Uma mulher casada, 40 anos me disse: "Tenho vontade de trair meu marido. Ele sai muito e me deixa sozinha em casa. Costuma sair sozinho com os amigos. Nunca me certifiquei se está com os amigos ou se está com outra mulher. Desconfio dele. Já percebi manchas de batom em seu colarinho. Por que não traio? Até agora, não tive oportunidade! No entanto, gostaria de pagar com a mesma moeda." O comportamento dessa esposa tem muito ressentimento e baixa auto-estima. Ao invés de focalizar o que pode ter afastado o marido do lar, a esposa insatisfeita se concentra na provável traição. Poderia conseguir soluções mais apropriadas voltando-se para ela própria. Buscando novos interesses, cuidando melhor da beleza, enfim, buscando alternativas que até poderiam ajudar a salvar esse casamento.

O convívio diário com colegas de trabalho ou o tipo de profissão são oportunidades de conhecer gente nova e interessante. Se o homem ou a mulher não está vivendo um relacionamento gratificante, todos esses fatores podem facilitar a traição.

E vem o questionamento de um homem: "Estou traindo minha namorada! Sou discreto e até agora, ela não desconfiou do meu comportamento." Isso acontece bastante. O homem tem a namorada fixa e outras eventuais. Nossas atitudes geram conseqüências. Mesmo que você consiga esconder a sua traição, inconscientemente é revelada. A pessoa amada percebe nas entrelinhas, no olhar e no seu comportamento. Se você não quer ameaçar seu relacionamento, se você o preza muito, pense bem antes de tomar qualquer atitude impensada. Trabalhe melhor seus sentimentos. O que você deseja provar a si mesmo? Se mesmo assim, quiser trair, então faça bem feito. Suas ações geram reações, sabia? No entanto, é seu livre arbítrio. Lembre-se de que outra pessoa será envolvida e um triângulo amoroso, na maioria dos casos, é uma relação doentia. Alguém sempre sairá prejudicado ou magoado.

A pior traição é aquela que fazemos com nossos próprios sentimentos. Busque dentro de você mesmo a saída. A saída para um relacionamento ruim nem sempre está na traição. Procure uma saída mais assertiva de acordo com seus sentimentos mais íntimos. Saiba o que você deseja da sua vida sentimental.

A traição também depende do enfoque e do relacionamento do casal. Alguns casais convivem bem sem o tal comprometimento da fidelidade. No entanto, até quando?

O comportamento do ser humano deve ser sempre espontâneo. Nós devemos agir sempre com harmonia. Algumas pessoas passam a vida traindo a si mesmas. Estão sempre mentindo para a pessoa amada e traindo sua confiança. Dizem que é mais forte do que elas! Quando a pessoa não consegue se comprometer com o ser amado, fica susceptível a envolvimentos paralelos. No entanto, nem sempre o problema é do relacionamento em si. Dentro de nós, há certo receio da vulnerabilidade. Se eu amo, me entrego de corpo e alma. Estou exposto e vulnerável. E aí o que vou fazer com minha fragilidade? Nessa trama de sentimentos, a pessoa prefere não se entregar totalmente. Prefere se envolver com outras, porque desse modo há uma sensação falsa de segurança. Alguém me disse: "Amo Fulano, mas tenho Beltrano. Assim, eu me protejo. Tenho uma carta na manga!" Será? Amamos um ser humano ou queremos um objeto? Quando o objeto não serve mais, rapidamente é substituído por outro, não é?

O Amor é um sentimento muito dinâmico. Se você se comprometeu afetivamente com alguém, respeite o seu relacionamento. Pense nas conseqüências dos seus atos. Coloque-se no lugar da pessoa. Como agiria? Como se comportaria se descobrisse que foi traído?

Se o amor acabou, que tal uma conversa séria?Temos medo de correr riscos. Protelamos o término de um relacionamento ruim, por pura acomodação. Nós, seres humanos, amamos com uma grande dose de egocentrismo. Não é assim que falamos? Meu marido. Minha esposa. Minha namorada. Meu namorado. Queremos ter acesso aos sentimentos da pessoa amada. Controle completo. Absoluto. Não somos perfeitos e nossa forma de amar ainda é muito possessiva.

Nossas necessidades urgentes. Imediatas. Rapidez. Praticidade. Precisamos ganhar tempo. Precisamos ter tudo. Fulana é uma esposa maravilhosa, mas não é muito fogosa. Pronto! O marido insatisfeito precisa de mais carinho e inovação sexual. Busca nos braços de outra a paixão. Aventura sem conseqüências! Será? Somos uma caixa de surpresas! De repente, a traição eventual pode se transformar numa grande dor de cabeça. Sofrimento. Encontros escondidos. Lágrimas. E nem sempre tem um final feliz!

Alguns relacionamentos se nutrem da traição. A amante ou o amante acaba fortalecendo um casamento falido. A situação se prolonga, mas um dia, as coisas podem mudar! Mentira tem perna curta. É a resposta da vida ante nossas escolhas. Pode acontecer também que o cônjuge traído finja que não sabe da traição. E assim, o casal vai arrastando o casamento. Até quando? Geralmente, um triângulo amoroso é um relação muito doentia! Acaba trazendo sofrimento e muitas perdas. Alguns preferem a saída da traição para resolver suas carências e falhas dentro de um relacionamento. Correm o risco de encontrar mais problemas e fogem de resolver no próprio íntimo a causa profunda da dificuldade do casal.

Escolhas amorosas. Dúvidas. Questionamentos. Amor humano é um conjunto de sentimentos muito contraditórios. A traição começa no pensamento. Na mente, são criadas as idéias. Com relação ao amor, não conseguimos controlar nossos sentimentos. Vem a paixão, o interesse pela outra mulher ou outro homem. Se é proibida, fica mais excitante! Não podemos controlar nossos sentimentos, mas podemos controlar nossas atitudes. E elas dependem dos nossos valores morais, da criação, dos laços familiares e do meio ambiente que vivemos. Nosso comportamento também depende das convenções sociais. Um homem de 50 anos comentou: "Mantenho meu casamento apenas por pura conveniência social. E também pela questão financeira.Tenho uma amante faz quinze anos. Ela deseja que eu me separe, mas ainda não estou pronto! Separar-me agora, seria muito arriscado. Queda de status e nível social. Não vale a pena! Vivo junto com minha esposa na mesma casa, mas cada qual tem sua própria vida. Acho que minha esposa sabe que tenho um caso, mas não se manifesta". E assim, cada casal encontra sua própria saída para um relacionamento desgastado e sem amor.

Se você está num relacionamento afetivo e começou a gostar de outra pessoa, pare para pensar. Se estiver amando de verdade, tenha um comportamento assertivo, sincero consigo mesmo. Amor sem coragem não é amor! Responsabilize-se por sua decisão! Neste momento, a culpa não ajuda muito. Decida-se! Em primeiro lugar, não traia a si mesmo. Não traia seus princípios e seus valores. Não se preocupe com a opinião alheia. O que é bom para você, pode não ser para outrem. Prolongar um relacionamento sem amor por causa da pena ou da culpa não é uma atitude assertiva. Mais dia, menos dia... "a casa cai!" Aja de acordo com sua consciência sempre. A intuição vale também. Saiba diferenciar sentimentos impulsivos e passageiros, daquilo que é perene. Assim aconteceu com Joana e João, ambos 40 anos( nome fictício para preservar o sigilo do casal). Quando se conheceram ambos eram casados.Os dois se apaixonaram e o sentimento foi muito forte. No entanto, houve coragem suficiente para enfrentar os obstáculos e tomar uma decisão. A escolha foi a separação. Joana foi sincera com o marido e desfez o casamento. Ela cortou o mal pela raiz. Preferiu um comportamento assertivo do que trair o marido e encontrar-se com João às escondidas. João separou-se da mulher e assumiu o romance com Joana. Tratava-se de assumir o risco da relação não dar certo. Ambos se conheciam há pouco tempo. No entanto, algum tempo depois, Joana e João se casaram e tem dois filhos. Vivem felizes.

O amor humano precisa de perdão. Se você for traído e a pessoa pedir uma chance, pense a respeito. Disse um terapeuta que o traído é sempre punido por sua traição! No entanto, jamais é premiado quando rompe com a aventura e volta para a pessoa amada. A traição provoca um reboliço num relacionamento. Pode ser que depois da tempestade, venha a bonança. Começar de novo! Quem sabe?

Não julgue os outros pela aparência. Não condene! Você não é responsável pela felicidade do outro, mas pela sua felicidade! Você não pode controlar o outro, mas pode conhecer seus sentimentos. Um dia, poderá ser traído, sim. Amar envolve riscos. Amar pode ser uma estrada cheia de obstáculos. Total controle do outro? Ninguém é dono de ninguém. Cobrar da pessoa amada um comportamento amoroso e fiel não é garantia que você vá conseguir!

Descobriu que foi traído? Ou traída? O que fazer? Nesse momento, nem sempre bom senso, regras ou conselhos ajudam. Não focalize a traição, mas procure refletir sobre a causa. Por que será? Mesmo assim, se achar que o companheiro foi desleal com você, focalize o relacionamento. Nesse momento, as cobranças surgem de todos os lados: família, amigos, etc e etc. Você se sente ridicularizado. Passado para trás. Seu ego fica pequenino. Difícil passar por tanta dor. Aí você pensa desolado: "O que será que eu fiz? O que será que eu não fiz? Não sou boa o bastante para ele?" Uma traição abala muito a auto-estima. No entanto, a auto-estima se fortalecerá! Não permita que nada enfraqueça de modo perene sua auto-estima! Uma traição pode trazer sensação de abandono, decepção e a descrença no ser humano. Não generalize. Tudo passa! A dor pode acontecer, mas a intensidade do sofrimento você é quem vai ditar! Lembre-se disso! Você pode comandar suas emoções!

Saiba merecer a sua felicidade no amor! Não espere perder a pessoa amada para dar valor ao relacionamento! Pode ser tarde demais! E se alguém o decepcionou com uma traição, aguarde! O sofrimento será uma lição dolorosa, mas continue acreditando na felicidade a dois.

Acredite em você mesmo! Confie em seu taco!

Há vida depois da traição!


Sandra Cecília

 

Copyright © 2003-2009 Relax Mental
Sandra Cecília / Renato Augusto - Relax Mental - desde 13 de junho de 2003