Relacionamento - 30/11/2003
Toques de Amor ll




Alice escreveu um lindo e-mail para seu namorado Flávio. Leu e releu. Ficou satisfeita. Naquele e-mail, quase todos os sentimentos expressados numa linguagem simples e singela. Afinal, um ano se passara! Flávio e Alice estavam muitos felizes. Namoro gostoso, feito de momentos de convívio feliz e pleno de afinidades. De repente, um pensamento veio à sua cabeça. Pensamento nefasto! Ele entrou em sua cabeça! O que Alice poderia fazer? Deletou o e-mail na hora. Em seu pensamento negativo pensou o seguinte: ?Homens não gostam de muito doce e xamêgo. Estarei me declarando e aí o que ele fará estando seguro dos meus sentimentos?? Alice achou melhor deletar a linda carta de amor.

Gilberto era viúvo e tinha sofrido muito com a morte da espôsa. Arrumou outras namoradas, mas não conseguiu se entregar. Uma bela morena flechou seu coração carente. Gilberto, um empresário bem sucedido, se transformou no mais romântico dos homens. E-mails apaixonados, cartas de amor, CDs e flores eram oferecidos à bela morena. Um mês depois, a bela morena saiu da sua vida sem uma desculpa... Simplesmente se afastou. Disse que não queria compromissos e pronto... O viúvo se fechou em copas. Suas explosões de amor e carinho não sensibilizaram o coração frio da bela morena. Gilberto, meses depois, arrumou outra namorada. No entanto, o lado doce e carinhoso da sua essência, a namorada nunca vira. O rapaz era atencioso, pontual, mas sempre distante. A moça ficava apreensiva e insegura. Mal sabia que Gilberto agia assim por causa do sofrimento dos amores passados.

Como podemos saber se nossos Toques de Amor, nosso carinho será bem recebido pela pessoa amada? Será que ela vai gostar daquele e-mail sensual? Será que ele vai gostar daquele presente? Vale a pena arriscar uma declaração de amor apaixonada? E aí?

Nós temos muito medo de entregarmos nosso coração. Muitos casais deixam de viver momentos lindos por causa do temor e da insegurança. A clássica teoria do achismo: ?O que será que ele(a) vai pensar de mim? O que vai achar ??

Beth tinha um namorado que morava em outra cidade. Quando ele voltava para sua cidade, ela escrevia bilhetinhos apaixonados num papel e deixava em sua mala. No começo, o namorado achou esquisito e ela ficou sem graça. A jovem persistiu. Seu gesto era espontâneo e carinhoso. O rapaz, um dia confessou a ela que adorava os bilhetinhos, mas não dizia nada porque temia que ela ficasse convencida.

Os homens também se apaixonam e temem o sofrimento. Ficamos todos ressabiados e o Medo toma conta.

Se você tem um amor, seja você mesmo(a) sempre! É bom arriscar um jeito novo de acariciar, um bilhetinho, um sorriso, um convite... Faça aquilo que o seu coração pedir. Em tudo, preserve o equilíbrio. Uma espôsa ligava seguidamente para o marido em seu trabalho. O celular dele tocava toda hora e ela dizia melosa:

- Benzinho, estou com saudades! O que você está fazendo? Vem logo para casa!?

O marido começou a se aborrecer com os telefonemas seguidos e insistentes. Não eram bem uma manifestação de carinho, mas o desejo de posse e controle da esposa. O casal conseguiu o equilíbrio através do diálogo sincero e aberto. A espôsa confessou que sentia muito ciúme do marido. Ele tranqüilizou-a a respeito sendo mais carinhoso e presente nas horas de folga.

No amor, criatividade e bom humor não devem faltar! Se você está num início de romance, espere um pouco. Conheça melhor seu amor e depois não tenha medo de ser carinhosa.

Alguns homens passam por frios quando não atendem às expectativas das mulheres amadas. Não é bem assim! José nunca elogiava o vestido novo da espôsa e nem comentava a nova cor do cabelo. Quando saíam, ela esperava sempre pelo seu comentário e elogio. Nada! Ele era sempre gentil, solícito, passeavam bastante, mas em elogios o danado do esposo economizava. Conclusão: a espôsa começou a ficar irritada e mal humorada. Um dia, o marido queixoso perguntou o motivo do ar infeliz da mulher:

- O que você tem, mulher? A gente sai sempre, gasto o que não posso para viajarmos e sairmos juntos e você sempre mal humorada!

- Você nem me enxerga! Se eu resolver sair de casa vestida com trapos, acho que você nem vai notar!- protestou ressentida.

O marido teve um insight. Então era isso! Desde os tempos de namoro, era esse o jeitão dele. Sabia que a mulher era um avião, mas não gostava de elogiar, para não ter que dar o braço a torcer. Sabe como é! Ela poderia pensar que ele estava muito apaixonado... e aí... tirar proveito.

Depois de muita conversa, o casal se acertou. Ele foi perdendo aos poucos o seu machismo e insegurança e os elogios começaram a vir para a alegria da espôsa.

Encontrar um amor até que não é difícil, o difícil é mantê-lo. Toques de amor são muito importantes. Não tenha medo de expressar seus sentimentos de elogiar ou receber elogios. Não tenha receio também de expressar seus sentimentos de desagrado ou insatisfação. Saiba como fazer críticas. Você pega as abelhas com mel e não com fel.

Se o seu homem ou sua mulher não valorizam seu jeito carinhoso de ser, talvez esteja no momento de conversar seriamente a respeito da relação. O amor entre um homem e uma mulher tem que ser uma troca. Amor correspondido sempre! Senão... é sofrimento atrás de sofrimento.

Jamais se arrependa das suas cartas de amor, dos elogios apaixonados, jamais se arrependa das loucuras de amor... que já fez.

Jamais se arrependa de ter amado... mesmo que tenha sofrido.

Espere sempre por dias melhores em que encontrará a pessoa certa.

Jamais se arrependa de ser você mesmo(a) e primeiramente amar você do jeitinho que você é!


Sandra Cecília

 

Copyright © 2003-2009 Relax Mental
Sandra Cecília / Renato Augusto - Relax Mental - desde 13 de junho de 2003