Relacionamento - 16/06/2006
O verdadeiro amor pode mudar para melhor a pessoa amada?




O sentimento verdadeiro de amor é paciente, terno e realista. É preciso ser muito realista para enfrentar um relacionamento a dois. Necessária a autoestima elevada, alto grau de tolerância para não se deixar abater pelos obstáculos de um relacionamento.

Queremos mudar o mundo, mudar as pessoas, controlar os acontecimentos. No entanto, na era do descartável, é mais fácil partir para outro relacionamento do que tentar novamente. Investir no relacionamento. Amor impaciente, ansioso é passível de desgaste;

O plantio é necessário para se obter a colheita. Quando duas pessoas se encontram o amor ensaia devagarzinho uma sonata. É preciso exercitar cada som musical com paciência, treinar e se exercitar bastante. No final, a melodia pronta e maravilhosa.

O amor também precisa de afinação e ela só vem com a convivência e a maturidade. Se você não luta o suficiente e não acredita no sucesso do relacionamento, perderá as chances do recomeço. É como desligar o forno antes do bolo assar. Rasgar o papel antes de escrever a carta. Desistir de um passeio pensando na chuva que virá ou não.

Há uma diferença entre investir numa semeadura repleta de semente férteis e noutra cheia de ervas daninhas. Certos relacionamentos se arrastam não por conta do amor , mas da conveniência e das falsas aparências. Interesse. Egoísmo. O amor de alma para alma é consistente, forte o bastante para superar os vendavais da vida e ficar incólume. Ele não precisa se sacrificar porque é genuíno, espontâneo e verdadeiro.

Deseja que a pessoa amada mude para melhor? Pare com a cobrança infrutífera e a crítica excessiva. Primeiro é preciso olhar para dentro de si mesmo. Examinar seu comportamento diante dos seus relacionamentos. Seja sincero consigo mesmo. Tente melhorar a cada dia que passa. Só assim, baseado em seu exemplo, a pessoa amada será tocada pelo seu amor. O amor quando toca uma pessoa é um verdadeiro renascimento. Você tem que dar o exemplo através do auto-aprimoramento. Melhorando sua auto-estima, auto-confiança e confiando na pessoa amada. Admirando o que ela tem de melhor.

O amor verdadeiro é realista, mas não deixa de ser romântico. Ele aprecia o romance, mas está preparado para a instabilidade das emoções humanas. O verdadeiro amor é responsável e se compromete. Ele se responsabiliza pela pessoa amada.

Quer alguém feito sob medida para você? Deseja uma alma gêmea pronta para satisfazer seus desejos mais íntimos. Felicidade eterna. Acha que essa pessoa virá sem que você mereça?Não! E se o destino unir vocês dois talvez você não reconheça. Tudo é causa e efeito. Atração e repulsão. Alguém pode perguntar: "Fulana não ama Sicrano, o maltrata e Sicrano, mesmo assim está apaixonado. Ela rompe o relacionamento e o apaixonado volta como um cão fiel." Ah, mas se ela for mesmo uma mulher ingrata , um dia, o Sicrano vai se cansar e procurar um novo amor.

Nada mais massacrante para um amor frágil do que o convívio a dois. O amor se destrói aos poucos. As pessoas se mostram sem máscaras. Os defeitos à mostra. O que encantava agora é motivo de briga e discussão. O comportamento boêmio antes romanesco agora se transformou na causa principal de uma contenda. A atitude irresponsável do moço bonitão antes encantadora se transforma num desastre caótico quando se depara com o convívio a dois. O rosto bonito enjoa. O corpo escultural vira lugar comum e só há espaço para espiar com lentes graúdas os defeitos físicos e espirituais de cada um. A paixão morre dia a dia. Não há esforço pessoal de mudança, evolução. Só teimosia e egocentrismo.

O dia a dia de um amor consciente e maduro pode se frustrar quando encara a realidade, mas seus olhos se voltam para as qualidades da pessoa amada. Vivem a dois. Precisam um do outro, mas não dependem um do outro. As brigas vem, mas a paz compensa. O defeito irrita, mas o amor verdadeiro supera. As lentes do amor observam as qualidades, acentuam cada detalhe bonito do corpo e elogiam cada esforço no aperfeiçoamento pessoal. Amor maduro. Pessoas imperfeitas, mas tentando acertar. Não acreditam na felicidade eterna, mas vivem o dia a dia com total mergulho nesse amor real. Acreditam na felicidade disponível e possível do momento presente. Mesmo assim, fazem planos, lutam juntos e constroem juntos.

Os caminhos do amor não são fáceis, mas geram felicidade. Fazer feliz o outro é melhor do que esperar felicidade. Não entre num relacionamento só para receber carinho e amor. Entre para doar amor, experiência. O amor é soma, não divisão.. O dia a dia é uma lente poderosa que descobre defeitos, vícios e falhas de caráter. O homem maravilhoso e a princesa encantada se transformam em seres reais. A frustração vem por conta do convívio difícil e pode resultar em rompimento. O casal quer uma felicidade imediata e , quando ela não vem, desistem do relacionamento sem ao menos tentar aprofundar a relação.

Muitos relacionamentos melhoram com a ação da paciência, do otimismo e do diálogo. Com o tempo a adaptação faz maravilhas e o casal colhe os frutos da semeadura fértil. Outros relacionamentos não. A pessoa amada é tão destituída de auto-estima e vícios graves que para de lutar por si mesma. E, mesmo um grande amor, não consegue atingi-la. Partindo do princípio das vidas sucessivas, até uma migalha de amor pode fazer milagres futuros. E a pessoa voltará em outra encarnação mais preparada para evoluir e amar de verdade.

Algumas pessoas caminham sozinhas num sofrimento interminável. Injusto? Não. A vida tem caminhos tortuosos, mas Deus é justo. Se você é exigente demais com os outros , jamais encontrará alguém para trilhar os caminhos do amor. Nunca estará satisfeito. Insistirá em controlar a pessoa amada, desejando que ela seja que nem você. Você tem que ver com os "olhos do outro." O amor expande, aumenta, o egoísmo se fecha e atrai solidão.

Como saber a hora de terminar ou investir num relacionamento? Quando ainda existe amor e admiração pela pessoa amada, é sempre o momento de tentar novamente. Você só vai investir naquilo em que acredita. Você só vai tentar novamente se tiver esperança e fé na relação. E para ter fé e esperança é preciso amar de verdade. Amar a si mesmo também. Se você amar a si mesmo jamais vai permitir que um relacionamento doentio entre para ficar em sua vida.

Quando há muito sofrimento e desrespeito é melhor deixar ir a pessoa amada. Desistir de uma relação muito doentia pode ser também um ato de amor para consigo mesmo e com o ser amado. Deus não deseja que duas pessoas que não se amam mais convivam juntas para se odiarem e se desrespeitarem.

O verdadeiro amor é um pacote que vem com alguns ingredientes: paciência, alegria, otimismo, encanto e o pé fincado na realidade do dia a dia. O pacote tem que vir com uma dose generosa de responsabilidade em relação ao outro. Capacidade de doar, compartilhar, dividir com o outro. O relacionamento a dois num relacionamento precisa do amor do outro para se manter vivo. Amar é saber respeitar a individualidade do outro e até seus defeitos.

Será tudo mais fácil, quando a humildade entrar no coração de cada um. Ceder um pouco. Não dar tanta importância a algumas falhas pequenas. Não deixar passar batido o ressentimento. Conversar. Passar a limpo. Desabafar. Perdoar. Tolerar. Não deixar passar batido uma qualidade da pessoa amada. Um gesto bonito. Um sorriso. Uma gentileza. Um esforço para recuperação de um vício. Elogiar , estimular e encorajar o outro a crescer. Não permitir qualquer forma de violência seja verbal ou física. Respeitar o outro e exigir respeito.

A felicidade de um amor verdadeiro é duradoura, mas o ser humano é instável. Se você não é perfeito como exigir que a pessoa amada seja também? O verdadeiro amor é como o mar: imenso, forte e faz bem. No entanto, nem sempre tem ondas calmas, mas você sabe que ele sempre acaba beijando a praia e voltando para ela beneficiando a areia, o homem e todos os seres marinhos.


Sandra Cecília

 

Copyright © 2003-2009 Relax Mental
Sandra Cecília / Renato Augusto - Relax Mental - desde 13 de junho de 2003