Relaxamento - 26/06/2006
Cura do seu relacionamento




Se o seu relacionamento afetivo passa por dificuldades ou então está muito morno, você pode fazer esta visualização. Esta técnica de relaxamento é um banho de energia positiva para o casal. Predispõe ao diálogo, amor e tolerância.
Escolha um local adequado. Pegue seu colchonete e deite-se. Ou, se preferir, sente-se numa cadeira de espaldar reto. Deixe a coluna vertebral ereta e os pés juntos. Coloque música ambiente, se desejar.
Deite-se. Inspire suavemente.
Observe o ritmo da sua respiração.
Solte bem o corpo. Sinta o seu corpo pesado, muito pesado.
Você está relaxando, relaxando.
Deixe que venham a chuva de pensamentos, seu lixo mental.
Sua mente está limpando completamente. Não detenha o fluxo dos pensamentos. Apenas observe assim, como um passageiro de trem, observa a paisagem na janela.
Quando sentir, que sua mente está vazia de pensamentos, imagine seu refúgio interior.
Visualize um lindo bosque muito verdejante. O ar está puro, cheiro de mato, o sol brilha.
Ande um pouco sozinha pelo bosque e escolha um lugar.
Veja à sua frente dois tocos de madeira. Um ao lado do outro. Os tocos estão embaixo de uma árvore frondosa.
A árvore é frutífera e está carregada de frutos. Escolha sua árvore preferida.
Sente-se no toco e acomode-se. Observe os pássaros, as folhagens.
Olhe para a frente. Imagine seu companheiro ou sua companheira caminhando até você.
Ele está sorrindo e veste uma roupa muito clara.
Neste momento, não enfoque sentimentos negativos caso vocês estejam brigados.
A pessoa amada senta-se no toco de madeira ao seu lado.
Olhe para ela e sorria. Lembre-se no seu refúgio interior, as pessoas se comunicam através do pensamento.
Olhe para a pessoa amada. Se quiser, pegue as suas mãos e segure-as. Sinta a temperatura dele(a).
Converse mentalmente com ele. Diga como se sentiu quando se desentenderam. Ou então, apenas mentalize palavras de amor. Observe se o seu amado conversa com você.
Aproxime-se mais dele. Acaricie seu rosto. Diga-lhe palavras confortadoras. Se a pessoa amada passa por momentos difíceis, o encoraje.
Agora, olhe à sua frente e verá um ponto de luz brilhante.
Este ponto de luz toma a forma humana. Trata-se do anjo guardião do casal.
Dê forma ao seu anjo. Sua túnica é pura luz.
Se o seu relacionamento está precisando de mais comunicação imagine o anjo vestido de azul.
Se o casal está precisando de mais amor e tolerancia, túnica rosa.
O anjo se aproxima e vocês dois se iluminam com a luz do anjo.
Converse com o anjo. Peça a ele que abençoe vocês e cure o relacionamento.
Sinta que o anjo se aproxima e impõe as mãos sobre seu companheiro ou companheira. É um saudável banho de energia. Energia de amor, confiança, energia revigorante.
Agora, o anjo impõe a mão sobre você. 
Ele fica algum tempo com vocês. Observe se a pessoa amada também conversa com ele.
O espírito de luz se afasta aos poucos, até se transformar num ponto de luz que ganha o céu.
Você se levanta e estende a mão para a pessoa amada. Caminham de mãos dadas pelo bosque.
Abrace forte a pessoa amada.
Atravessem o pórtico que deu acesso ao jardim interior.
Volte aos poucos para seu ambiente.
Sinta seu corpo, os ruídos da sua casa, a música ambiente.
Conte até 6, que é o número do amor.
Abra os olhos e espreguice-se.
Você pode marcar o dia e a hora do relaxamento e avisar a pessoa amada. Ela pode estar em outro lugar. Não conte nada a ela. Só peça que observe como se sentiu naquele horário que você fêz a visualização. Poderá ter surpresas gratificantes. O pensamento é força. Mesmo que a pessoa amada não sinta nada de especial, será beneficiada pelo exercício de reenergização.
Lembre-se! Sua atitude amorosa e predisposta ao diálogo deve se manter também após a técnica de relaxamento. Ela é apenas um exercício revigorante. Dependerá de vocês o aproveitamento desta energia.
Se você não conseguiu conversar com a pessoa amada durante o exercício, tente outras vezes. Persista!
 Boa Sorte!


Sandra Cecília

 

Copyright © 2003-2009 Relax Mental
Sandra Cecília / Renato Augusto - Relax Mental - desde 13 de junho de 2003