Relacionamento - 27/08/2006
O Companheirismo fortalece os laços amorosos






Um grande amor cheio de ausências é o rio sem peixes, infrutífero e estéril.É maravilhoso poder contar com a pessoa amada em todos os momentos.

O companheirismo vem junto com a compreensão e a confiança. É a vontade de estar junto, o prazer em estar com a pessoa amada. E, quanto mais convivem, mais aumenta o prazer em estar junto. A convivência também pode ser fortalecida com o afastamento e a aproximação.O prazer de estar junto não tem nada a ver com possessividade.É o amor que floresce sem que nenhuma das partes queira dominar a outra. Estar junto também não é apenas morar juntos, passear, ou viajar junto com a pessoa amada. É vibrar na mesma frequência, manter o diálogo e a conversa em dia.

Alguns casais perdem essa intimidade. Moram na mesma casa mas não são mais íntimos. A vontade de partilhar a vida está desgastada. Almas companheiras nem precisam morar juntas, mas a afinidade é especial.

Alguns casais por vários motivos param de fazer sexo: problemas de saúde, distancia, rotina. No entanto, se os dois são companheiros, conversam e são amigos a união persiste por muito tempo. E tem até mais chances de reacender a chama. Quando o casal se distancia muito na questão do diálogo, da participação nos corriqueiros atos da vida é sinal de perigo na relação a dois. 

Grandes amigos também são companheiros. Alguns relacionamentos baseados na amizade podem se transformar em um grande amor.

A pessoa egoísta não sabe compartilhar um relacionamento só pensa em si mesma. Qualquer coisa é ocasião para melindre e ofensa. Conviver com uma pessoa egoísta é como pisar em ovos o tempo todo. No entanto, o ser humano é maravilhoso. Acho que não existe nesse mundo de Deus, alguém totalmente egoísta ou malvado. Mesmo o mais cruel dos bandidos pode amar a própria mãe, um bicho de estimação ou ama sua namorada. O amor facilita a evolução das pessoas.

Quer se tornar uma pessoa companheira? Amadureça! Esse é o primeiro passo, seu comprometimento com a vida real. Seu romantismo tem que aparecer nas horas certas. Amadurecer é auto-conhecimento, assertividade. Sair do próprio ego e abraçar o outro, ser fraterno. É o primeiro passo para o Amor. O Amor num relacionamento a dois é troca, uma permanente troca de afeto, respeito e carinho. 

Alguns exemplos de relacionamentos amorosos:

José ama Maria. O relacionamento parece fluir, mas Maria precisou fazer uma intervenção cirúrgica. José não foi visitá-la no hospital. Disse que não estava pronto para conhecer os pais dela. José perdeu pontos com Maria. Ela se restabeleceu, mas ficou magoada com o namorado. Era importante para ela que ele estivesse presente no hospital. 


Vilma, 60 anos, teve um grave problema de saúde. João, seu companheiro há 15 anos cuidou dela. Acompanhou-a ao hospital e até auxiliou nos curativos e no banho diário. Esse convívio sofrido fortaleceu o amor do casal. Mais tarde, João precisou fazer uma cirurgia delicada. Vilma foi solícita, amável e carinhosa. São pequenos gestos que podem se tornar grandes perante o todo de um relacionamento amoroso.

Miriam ama Luiz há dois anos. No entanto, ela fica todos os finais de semana sozinha. Um dia, à noite, uma febre alta veio repentinamente. Sentiu falta do seu namorado. Morava sozinha. No entanto, sempre que precisava não o encontrava. O celular desligado ou na caixa postal. Luiz só estava presente nas noites de amor. Não a convidava para uma volta de carro ou mesmo um sorvete. Miriam rompeu o relacionamento e trabalha a autoestima para se preparar para o verdadeiro amor.

Mateus, 30 anos, casado, chegou cansado de uma reunião no escritório. Encontrou a esposa às voltas com o controle da TV. Ele estava faminto e nervoso. A mulher apenas murmurou: "Mateus, a empregada não veio hoje. Não estou com fome. Tem ovos na geladeira." O marido deu um longo suspiro. Esperava outra recepção da esposa. Achava que era generoso, criativo e carinhoso. Quando a mulher chegava cansada das aulas, ele a esperava com um sorriso. Improvisava sempre uma comidinha caprichada ou então um bife. A mulher se refestelava no mar de amor do marido. Mateus queria também um pouco de carinho e um bom prato de comida. Daquele dia em diante, só chegava em casa depois que jantava em um bom restaurante. Ficou distraído, ausente e a esposa percebeu a diferença. 

O companheirismo no amor pode ser um interessante afrodisíaco para o sexo. E nessa reflexão sobre o amor vem a palavra: cativar. Quanto mais a pessoa lhe cativa nos pequenos gestos e nos grandes, mais você se apaixona.

Você foi companheiro, solícito e amável e levou um fora? Não desista de ser bom! Um dia, quando menos esperar o amor verdadeiro virá ao seu encontro.

"Ser sua testemunha"( frase em negrito no texto): frase comentada por Susan Sarandon quando explicava porque as pessoas se casavam. Do filme: "Dança Comigo?" Richard Gere.



Sandra Cecília

 

Copyright © 2003-2009 Relax Mental
Sandra Cecília / Renato Augusto - Relax Mental - desde 13 de junho de 2003