Cantinho da Leitura - 12/09/2006
Crônica - Sem nada para fazer!





Em algum momento da sua vida, você se sentiu entediado? Sem nada para fazer? O que você faz quando não tem nada para fazer? Aí, você pode me responder: " Nada faço!"

Algumas pessoas simplesmente se afligem quando não têm o que fazer. Nada para fazer, nada para pensar ou mesmo se preocupar. E, comigo acontece bastante. Fico aflito quando não tenho nada para fazer: lixo para colocar lá fora, crianças para pegar no judô, serviço do escritório atrasado ou o banho do cachorro. E sem preocupação, tarefas ou corre-corre o que acontece? Você tem que entrar em contato consigo mesmo. Entra em contato com suas neuroses, insatisfações, a saudades e as dores. 

Nesse momento, vem o tédio. O ser humano tem que estar sempre em ação. Quando não está em ação, é obrigado a se voltar para seu interior. Quando estamos voltados para o mundo, nosso interior dorme um sono solto e leve. Estamos voltados para as impressões exteriores, engarrafamento, televisão, rádio, estímulos de toda ordem. 

Nossa mente fica uma miscelânea! Poluída, agitada e confusa. São tantos os estímulos, visuais, olfativos e sonoros. E esses estímulos nem sempre são bons ou agradáveis.

Aí, pronto! Você pára! No entanto, sua mente continua acelerada como um carro desenfreado. A mente não pára de pensar um instante! Internauta amigo, já tentou parar de pensar apenas um segundo? Tente. Eu não consigo, sabia? Dizem que a yoga ensina meditação e concentração. Mente relaxada, corpo tranqüilo. Eu não consigo!

Não consigo ficar parado! Entrar em contato comigo mesmo me deixa ansioso. Se estou sentado, fico balançando as pernas e os pés. Quando deitado, viro de um lado para o outro. O tempo não passa! Não vejo a hora da segunda-feira voltar ...Começar a correria, o estress, o dia a dia agitado. Cansaço e comida engolida às pressas. Eu me acostumei a viver fugindo de mim mesmo!

Você consegue ficar parado? Bem, pelo menos está lendo meu texto! É, mas onde está seu pensamento? Duvido! Duvido que você consiga relaxar sua mente.

Entrando em contato comigo mesmo, percebo o quanto sou falho e imperfeito. Minhas neuroses vem à tona. Não quero resolve-las. Meus traumas sobem à superfície. Minhas frustrações chegam todas para dar um alô à minha mente!

    Isso acontece com você, às vezes? Sem nada para fazer, de repente, dá um aperto no peito. Coisa ruim. Uma coisa que sobe e desce. Um faniquito. Aí, você começa a pensar que entrou no cheque especial. Ou então, na sogra chata que agora é sua vizinha. Se está sozinho ou sozinha, pensa no quanto é infeliz! Dor de cotovelo. Fossa. E, se você tem alguém, pensa no quanto sua companheira ou seu marido ... lhe aborrecem.. e por aí vai...E pensa no quanto seria bom se você estivesse sozinho. 

Por que? Por que somos eternamente insatisfeitos! Não conseguimos relaxar. Eu não consigo me sentir feliz sem a tal da culpa. Por acaso, meu amigo, você já se sentiu feliz em algum instante? Já? E não veio um pensamento intruso dizendo assim:"To muito feliz! Ih, algo ruim virá depois!" Viu? Não disse? Somos parecidos! Gostamos de ter um pacto com o sofrimento. Queixas descabidas ou lamentações egoístas para ficarmos com a gostosa e doentia sensação de vítima. "Ah, como sofro!"- diz alguém. "Você não sabe a metade do que estou passando! Não tenho tempo para nada. Estou exausto, cansado... e .." Viu? 

Acha que sou maluco? Pode ser, mas você é parecido comigo. 

Vive com pressa, aos atropelos, comendo mal e vivendo mal.

Por que não dar passagem ao Amor? Por que não, nesses instantes de tédio pensar em coisas boas? Acalmar a mente com a tão famosa "paz de espírito"?

Acostumar-se a se sentir bem consigo mesmo. Sem estímulos. Sem atropelos. Interferências.

Ouvindo sua essência interior. Prestando atenção à sua alma. Quietinho. Prestando atenção em você mesmo. 

Reserve um minutinho da sua vida somente para não fazer nada. Não faça nada mesmo! Fique na inércia positiva do relaxamento. Aquiete sua mente. Pare de pensar em bobagens. Procure uma rede. Ou um sofá velho e macio. Pode ser uma cadeira de balanço. Pronto!

Guarde a culpa num cofre escuro. Tranque e perca a chave! Culpa e preocupação não levam a nada!

Não estou estimulando o ócio, mas aquela pausa gostosa que todos nós queremos e precisamos. Sua mente e seu corpo agradecerão! Acabou de ler o texto? Oi, procure algo para fazer ... ou então... não faça nada! Você merece toda a paz desse mundo!

    Um pouco de Lá Barca para ouvirem... e curtirem a maior nostalgia. Ih, não é do seu tempo? Tire o som! Mas relaxa, amigo ou amiga, porque música faz bem à mente!

Até breve!

João Hardware.

João Hardware é nosso colaborador virtual.



Sandra Cecília

 

Copyright © 2003-2009 Relax Mental
Sandra Cecília / Renato Augusto - Relax Mental - desde 13 de junho de 2003