Relacionamento - 10/12/2006
Você complica o Amor?





Complicar; tornar confuso, embaraçado, dificultar a compreensão- Dicionário Aurélio.

Na maioria das vezes, o amor exige simplicidade: nas atitudes, nos pensamentos e até na confiança. As pessoas complicadas dificultam o amor. A imaginação atua demais, fantasiando problemas onde não existem. O diálogo falha e o ressentimento vem.

A duração prolongada da mágoa e do ressentimento dificultam a relação. Sentir raiva é saudável. Como pode atuar no amor mascarando seus sentimentos? Sentir raiva é simples. Comunicar a raiva é sabedoria. Saber comunicar com jeito sem a ira explosiva que destrói. Falo da raiva que constrói. Coloca verdade, sentimento, resolve. Durando muito tempo, endurece o coração e até as artérias. Aí, o amor vive no tempo passado. Tudo é o passado. Amor saudável, relação duradoura vive no presente. O futuro nunca estará disponível, só o presente.

O mundo atual precisa da cooperação, de compartilhar, doar, renunciar e amar! Aquele que se isola , complica a vida. Como viver sem se comunicar com as pessoas? Sendo apenas formal, vai complicar. Sendo assertivo, amável, sua vida amorosa será facilitada. Cooperação não combina com o egoísmo. Amor precisa de confiança. Como vai amar uma pessoa em que não confia o suficiente? Confiança total? Lógico que não!Temos nosso lugarzinho reservado. A exposição é sincera, mas não é total. Uma confiança sem a reserva infrutífera e imatura da ingenuidade. Todos temos defeitos.

Como você atua no mundo e no amor? É capaz de fazer concessões? A simpatia flui na sua vida ou não? Pessoas bem humoradas são até mais práticas e levinhas, levinhas. Facinhas. Gostosas. Macias. Sua relação amorosa fluirá quando vier a leveza. Leveza nos gestos, nas palavras e nas ações. Leveza no olhar. Atenção. Estar presente, com os sentidos estimulados. Isso é facilitador para o casal!

Quando estamos cansados, apressados, egoístas ou irados, estamos complicados. Raciocínio confuso. As emoções alteradas. O sangue fluindo com força e muita raiva. Assim, complica tudo! Não flui a comunicação do casal nesse momento confuso e caótico. Melhor esperar a poeira assentar.

O amor complica quando o diálogo falta. Quando se quer estar junto, mas o orgulho não deixa. Quando se precisa estar sozinho, mas a pessoa não respeita seu momento. Complicação na certa. Aonde o orgulho encontra espaço , falta espaço para o amor.

Quando uma briga pode terminar com um beijo e explode com fúria, é complicação. Quando o silêncio vem e impede uma palavra carinhosa. Quando mergulhamos numa série de pensamentos e limitamos a ação, o movimento no amor. Amor simplificado é dinanismo. Nunca está parado.

Ciúme facilita o relacionamento amoroso? Sim. Cuidado com a quantidade e com a intenção do ciúme. Sim, intenção. Ciúme com intenção de controle não funciona e complica. A relação fica muito pesada, insossa. Quando o fardo está muito pesado, temos vontade de largar. O ser humano pode ser muito frágil, às vezes.

Agora, o ciúme com intenção de proteger a pessoa amada, aquele mais leve, não complica o amor. Dá um colorido gostoso.

O relacionamento pode enfrentar situações complicadas que interferem na comunicação do casal. Suscitam dúvidas, ameaçam o futuro amoroso. No entanto, depende de como o casal enfrenta situações aparentemente complicadas como: traição, falta de dinheiro, incompatibilidade de gênios, dificuldades com pessoas da família, problemas sexuais.

Precisa haver compreensão e tolerância. Viver em constante parceria. Você continua sendo um só, mas precisa aprender a sentir empatia pelo outro. Por que ele se sente assim? Tolerar para compreender. Não é uma tolerância que vem da passividade, mas da ampla sabedoria de querer fazer feliz o outro. Para fazer feliz o outro , você não precisa se tornar infeliz.

O casal complicado acha que precisa estar sempre enamorado, apaixonado. Vivendo num sonho interminável. Mesmo com o tempo passando. Não. Os dois mudam. A vida muda. Como você deseja que o outro se comporte como há 20 anos? Claro que não! Alguns sentimentos não podem mudar porque senão a coisa complica. Compreensão, confiança, carinho, companheirismo. Isso tem que estar sempre intacto. Frágil, mas com possibilidades de conserto.

Não complique. Ah, seu amor é complicado, genioso, melindroso, ciumento? Tente se colocar no lugar dele. Saia um pouco do seu ego. O problema é nosso ego que deseja ver no outro uma extensão de si mesmo. São duas individualidades distintas.

O mundo está muito prático, mas continua lindo, apesar de tudo. O amor é lindo! Facilitar o amor é ver o que há de bom no outro. Saber comunicar o que há de bom nele. Saber conviver dia a dia, chorando, rindo, mas convivendo. Tirar lições proveitosas através do perdão que facilita muito.

Quando você perdoa de verdade, o muro do silêncio desaba e da complicação também. O perdão não é conivente com o erro e nem com o desrespeito, mas ele é correção, amadurecimento. O diálogo reaparece como um gerador de forças. E junto do diálogo, renasce a paixão.

Lembre-se, uma constante falta de auto-estima vai complicar sua vida. Auto-estima é um exercício diário de amadurecimento. Ela vai e vem. Precisamos trabalhar para que ela se mantenha numa reserva saudável.

Amar o outro requer amar a si mesmo. Quem não se ama tem uma vida muito complicada, restrita e sem luz.

Use a imaginação a seu favor. Não veja problemas onde não existem. Cuidado com a lente de aumento da imaginação que prevê tudo cinza e preto. Cuidado com a lente de aumento que nada vê. Fugindo do problema está complicando.

Amar é simplicidade, olho no olho e sinceridade. Quem oculta grande parte de si, esconde, desvia, trai, está complicando.

Ame , descomplique e se comunique!



Sandra Cecília

 

Copyright © 2003-2009 Relax Mental
Sandra Cecília / Renato Augusto - Relax Mental - desde 13 de junho de 2003