Relacionamento - 17/12/2006
Como está a intimidade com a pessoa amada?




Falo da intimidade que vem do prazer de se estar junto, da convivência e da participação na vida em comum. A intimidade sexual também é importante, mas quando a cumplicidade acaba, o sexo diminui. A vida íntima empobrece.

Como estimular essa intimidade? Por que ela desaparece ou diminui? Quando há falta de diálogo entre o casal. Uma cliente de 50 anos, casada há vinte anos me disse: "Meu marido e eu raramente conversamos. Muitas coisas que vivo no dia a dia , não conto mais para ele. Separamos os quartos. Não gosto , quando ele entra no meu quarto e estou de camisola.Fico constrangida."

Há alguns anos esse mesmo casal, por conta do amor e da intimidade selaram o compromisso através do matrimônio. Agora, mal se falam. A cumplicidade acaba quando a confiança se esvai. A confiança desaparece por vários motivos. Alguns defeitos incomodam tanto que a pessoa amada prefere se calar.

 Disse João, casado há 10 anos: "Não conto mais nada para minha esposa. Ela interpreta mal e morre de ciúmes. Cansei!"

Ou então: " Mauro é muito frio e sêco. Paramos de nos beijar faz tempo."

 A intimidade arrefece também quando o casal desiste de tentar. Falha a crença no relacionamento. Parece que nada mais pode ser feito. O outro não muda mesmo. A admiração, tão importante no relacionamento a dois, desaparece como por encanto. Como pode confiar numa pessoa que não admira? Como pode se abrir com um parceiro muito crítico e irritadiço? Como ser íntimo de uma pessoa mentirosa ou agressiva?

  Falhas de caráter muito sérias não mudam com o tempo. No entanto, alguns defeitos são passageiros e podem fazer parte do momento do casal como: stress, irritação, excesso de crítica, ciúme infundado, silêncio, cara emburrada. Não eternizar o momento delicado e focar as qualidades pode ajudar na volta do prazer de se estar junto. Seu foco não pode ser apenas o que irrita. Tem que haver tolerância e muita fé no relacionamento. Se você acredita no relacionamento, fica mais fácil lutar por ele.

Quando o casal tem intimidade, fica mais junto, conversa mais, um ajuda o outro, dando opiniões, aparando arestas. É uma cumplicidade gostosa firmada na confiança mútua. Mas a confiança pode ser abalada pela decepção e frustração. Se a pessoa amada não se comporta como você deseja ou espera, essa intimidade pode ficar ameaçada. Aí vem o medo de sofrer, de se desiludir , de ser traído. Nossa segurança sempre é ameaçada, quando exigimos demais do parceiro e as expectativas são muito altas.

Se você está muito focado nos defeitos do seu companheiro , da sua amada, olhe um pouco para dentro de si mesmo. Por que esse defeito incomoda tanto? Por que incomoda a relação? O que você pode fazer para melhorar ? Aceitar, compreender ou desistir do relacionamento?

Em alguns relacionamentos, a diferença de opiniões e valores interfere demais na harmonia do casal, fragilizando a intimidade. O casal evita o diálogo e a intimidade. A convivência é apenas de corpos, não de almas. A intimidade é o brilho do relacionamento sexual. Se você confia no seu amor, o admira, a entrega é maravilhosa.

O que fazer se nós somos tão falhos? Baixe a expectativa. Preferível um confronto do que silenciar e se afastar. Converse de forma assertiva falando sobre seus sentimentos. Não tenha medo de conversar sobre coisas que desagradam. Uma briga pode surgir, mas depois a paz volta. O sinal vermelho da intimidade é o afastamento persistente. As desculpas mais frequentes: falta de tempo, sono, cansaço. O inconsciente querendo fugir das verdadeiras causas de um relacionamento frágil.

Grande parte dos casais consegue aparar as arestas e aquecer a intimidade reaquecendo a paixão. Como fazer?

Algumas dicas:

Durante as refeições, evite falar sobre os defeitos do seu companheiro. Fale apenas de assuntos agradáveis.

Depois de um sexo bom pode ser um momento favorável para acertar as pontas e acabar com as dúvidas. O sexo também ajuda na volta da intimidade.

Evite o silêncio insistente. Não resolve. Afasta ainda mais.

Comunique seus sentimentos evitando a ira excessiva.

Espere a tormenta passar para voltar a tocar no assunto que o desagrada.

Não deixe de fazer coisas que fazia no início do relacionamento: abraçar, pegar na mão, beijar, ouvir música juntos. Preservando alguns hábitos agradáveis o casal fortalece a intimidade.

Façam planos juntos a médio prazo ou mesmo a longo prazo. Essa atitude é uma demonstração de confiança.

Saiba ouvir.

Não se queixe. Converse.

Ouvi falar que se o casal ainda comenta de manhã os sonhos que teve à noite, ótimo sinal de cumplicidade.

Tenha esperança. Não eternize o momento de retirada ou afastamento da pessoa amada. Às vezes, é preciso se afastar para retomar a intimidade perdida.

Elogie o comportamento positivo do seu amor.

O egoísmo afasta. A tolerância aproxima.

A humildade aumenta a confiança. O orgulho não deve existir na convivência do casal. No entanto, os defeitos também fazem parte desse contexto. O ideal é reavaliar sempre pensamentos e atitudes em relação à pessoa amada.

Auto-estima e o amor próprio evitam comportamentos superficiais com o objetivo apenas de agradar a pessoa amada. Super proteção pode ser uma rejeição disfarçada ou até ressentimento.

Reavalie seus sentimentos.

Se você errou, corrija a falta imediatamente. Dê o exemplo.

No caso de uma traição, que tal dar uma chance se a pessoa amada quer voltar? Pelo menos, você tentou.


Quando o amor acaba mesmo, nem sempre é possível resgatar a intimidade.

Uma traição, uma briga violenta, ofensas, mentiras, podem comprometer muito a intimidade e acabar com o relacionamento.

Pense bem antes de falar. Na hora da raiva, prefira o silêncio e a oração.

Se você errou, decepcionou a pessoa amada, se desculpe imediatamente. Isto é, se tiver desejo de mudar mesmo. E espere, porque uma decepção pode causar uma ruptura na cumplicidade do casal. A pessoa amada pode ficar ressentida e até se afastar emocionalmente de você. Precisará de um pouco de tempo para conquistar novamente sua confiança. Trazer a pessoa amada de volta para você!

Acredite no sucesso do seu relacionamento, na vitória ante às crises. Assim, juntará forças para lutar e persistir!

O amor precisa do otimismo para se manter duradouro!

A confiança precisa da rotina do dia a dia e da cumplicidade.

A intimidade precisa do beijo. O beijo sela a união e é o termometro do amor.

A admiração precisa do seu auto-aprimoramento.

O companheirismo precisa da convivência!

Tudo isso junto se revela na cama quando os corpos selam seu amor na troca de energias sexuais!

Seja feliz!


Sandra Cecília

 

Copyright © 2003-2009 Relax Mental
Sandra Cecília / Renato Augusto - Relax Mental - desde 13 de junho de 2003