Psicologia - 30/03/2007
Como escolher um terapeuta.






Algumas dicas podem ser importantes na hora de escolher seu terapeuta:

Médico psiquiatra:

É formado em Medicina e especializa-se em saúde mental. Como médico pode receitar remédios e também fazer psicoterapia. As pessoas ainda têm certo medo de psiquiatra. Muitos pensam que só aquele que está louco procura por um psiquiatra. Pelo contrário! A pessoa só procura um especialista quando está sã o suficiente para saber que precisa de ajuda.

Alguns médicos psiquiatras também se especializam em Psicanálise freudiana. É uma área de especialização que trata as doenças mentais com uma terapia de análise baseada nas teorias de Sigmund Freud.

"A psicanálise hoje se apresenta de várias formas, que são a psicanálise ortodoxa, a psicanálise nova (ou neopsicanálise) e a psicologia de orientação analítica (utilizada não só por psicanalistas formados, mas também por psicólogos não especializados), todas com algumas peculiaridades."

As doenças tratadas pela medicina psiquiátrica são aquelas que precisam , além da psicoterapia, da terapia com remédios. São casos de : depressão, síndrome do pânico, vício em drogas, psicoses, esquizofrenia, casos de ansiedade, depressão pós parto, alcoolismo ,etc.

Psicólogo:

"Cabe à psicologia estudar questões ligadas à personalidade, à aprendizagem, à motivação, à memória, à inteligência, ao funcionamento do sistema nervoso, e também à Comunicação Interpessoal, ao desenvolvimento, ao comportamento sexual, à agressividade, ao comportamento em grupo, aos processos psicoterapêuticos, ao sono e ao sonho, ao prazer e à dor, além de todos os outros processos psíquicos e comportamentais não citados.

As áreas mais conhecidas desta criação científica são, entre outras, a Psicologia Social, a Psicometria, a Psicologia Experimental (nisto englobando a linha comportamental), a Psicologia do Desenvolvimento, a Psicologia Metafísica, a Neuropsicologia, a Psicopatologia. Esses estudos criam teorias que são utilizadas na Psicologia Aplicada, que como o nome diz, é a aplicação dos constructos teóricos em áreas específicas.

A acunpuntura e a hipnose são as únicas práticas complementares regulamentadas e aceitas pelo Conselho de Psicologia, mas a utilização dessas praticas devem atender a normas de conduta ética estipuladas pelo Conselho de Psicologia."


O psicólogo não pode receitar remédios. Deve respeitar o sigilo e a ética no trato com os clientes. O sigilo só pode ser rompido de acordo com normas de critério do conselho regional de psicologia.



Terapias alternativas:

A formação do profissional é baseada geralmente em cursos de terapias alternativas.

E, nem sempre , um terapeuta holístico é formado em psicologia.

As terapias alternativas não são aceitas pelo Conselho Regional de Psicologia porque ainda não foram comprovadas cientificamente.

Penso que as pesquisas devam continuar, mas um lembrete. Acho que a ciência atual ainda não tem elementos necessários para comprovar a eficácia dos tratamentos alternativos.

Muitos psicólogos, profissonais éticos e sérios trabalham com essas técnicas, mas por conta disso, romperam o vínculo com o C.R.P. ( Conselho Regional de Psicologia)

São terapias alternativas: tratamentos com cristais, reiki, oráculos, radiestesia, pêndulo, acupuntura.

Terapia de regressão de vidas passadas:

Praticada por alguns profissionais da área da saúde. ( técnica ainda não reconhecida pelo conselho de psicologia) Consiste em tratar traumas do passado, fobias, através de regressão até vidas passadas. Alguns profissionais utilizam hipnose para a regressão, outros não. Geralmente, o cliente fica consciente durante todo o processo e se lembra de tudo.

Seja qual for o seu caso, não vá pela conversa dos outros. Pesquise seu terapeuta, informando a respeito e respeitando a indicação ou encaminhamento do seu médico de família ou órgão de saúde.

Se for utilizar de serviços e técnicas alternativas, saiba que os terapeutas holísticos também tem um registro de acordo com os cursos e sua formação específica.

Cautela com consultórios clandestinos, terapias mirabolantes, bizarras e promessas milagrosas! É sua saúde mental e emocional que está em jogo!


Perguntas freqüentes:

E se eu não gostar do terapeuta?

A empatia é necessária para uma boa psicoterapia. No início é natural que a pessoa sinta inibição em desabafar com o terapeuta. A simpatia e a confiança podem ser estabelecidas desde que no contrato , na sessão inicial ,você pergunte tudo, esgote todas as suas dúvidas.

Mas se persistir a inibição, mude de terapeuta e procure algum profissional com o qual tenha mais afinidade.Lembre-se no início do processo pode acontecer a repressão e a transferência. Se você está com problemas de relacionamento com seu pai, por exemplo, pode transferir para o terapeuta toda a raiva que sente do seu pai. Com o desenrolar do processo terapeutico, as causas são pesquisadas e insights encontrados. A psicoterapia poderá fluir de maneira natural.

A psicoterapia não anda:

Faz mais de seis meses que está fazendo terapia e não vê progressos? Procure se analisar. Pode ser que esteja cheio de medos e defesas. Abra-se com o terapeuta sobre suas dificuldades. Se as dificuldades persistirem, melhor mudar de terapeuta. Seu progresso depende em parte da interação entre profissional e cliente. Simpatia e empatia. Assim, como temos afinidades com algumas pessoas e outras não, pode acontecer o mesmo com seu terapeuta.

A duração do tratamento e a finalização desse podem ser previamente combinados durante o contrato e sessão inicial. Depende do cliente e do terapeuta. Os dois têm que estar de acordo.

Psicoterapia é muito caro e demora muito!

Isso não procede. Hoje, em dia, os órgãos de saúde fornecem tratamento psicológico gratuito. Informe-se na prefeitura da sua cidade. Não existe terapia demorada. O tempo da melhora e do progresso do cliente é de acordo com a sintomalogia apresentada. Tire suas dúvidas com o profissional antes de começar o tratamento. Pergunte sobre o tratamento utilizado, o número de sessões e o tempo estimado do tratamento. No entanto, isso depende de cada caso.

Algumas clínicas fornecem tratamento especializado com um preço mais acessível.

Terapia de casal funciona? Meu amigo começou uma terapia e se separou da mulher!

Funciona desde que o casal se comprometa a participar das sessões e a colaborar com seu terapeuta. A terapia tem como objetivo o autoconhecimento do cliente e, conseqüente, melhora dos seus relacionamentos. Aliás, na primeira consulta o terapeuta deve avisar o cliente que , após a terapia a ruptura pode acontecer. Isso decorre da evolução de cada caso. Alguns casamentos já estão deteriorados. O que o terapeuta faz é clarificar o que o casal está querendo há muito tempo.

Quero parar de fazer terapia. Eu posso decidir quando parar a terapia?

Não. A duração do tratamento e os métodos de terapia têm que ser decididos de comum acordo com o seu profissional. Ele sabe o momento certo e conversará a respeito. A interrupção do tratamento sem a prévia comunicação com seu terapeuta é interrupção da terapia. Nesse caso, o profissional não poderá se responsabilizar pela melhora ou agravamento do seu problema.



Antes de iniciar o tratamento pergunte sobre o preço das sessões, a duração do tratamento, o número de sessões por semana, enfim, não fique com dúvidas!



Bibliografia consultada, trechos em negrito:

Site:


pt.wikipedia.org/wiki/Psicologia



Sandra Cecília

 

Copyright © 2003-2009 Relax Mental
Sandra Cecília / Renato Augusto - Relax Mental - desde 13 de junho de 2003