Relacionamento - 09/04/2007
Você traiu? E agora?






Muita coisa mudou no mundo, mas os homens costumam trair mais do que as mulheres. Dizem que os homens separam o sexo do amor. Podem manter um relacionamento estável e dar suas escapulidas.

A mulher não. Geralmente, trai porque se apaixona, mas alguns detalhes mudaram. Algumas mulheres superaram o medo e o machismo e também traem. Mas o estigma ainda continua. Mulher quando trai é desleal , volúvel. Homem é homem. Homem pode ou quase!

Através da minha experiência profissional de mais de trinta anos em aconselhamento de pessoas, concluí, que geralmente a traição leva a muito sofrimento. Alguém sempre sai magoado desse triângulo amoroso.

Agora, depende muito da sinceridade da pessoa. Algumas resolvem bem o problema, através da assertividade. Tomam decisões e não ficam em cima do muro.

Alguns casos parecem dar certo. Homens e mulheres mantém seus casos durante muitos anos. Aparentemente,  a esposa e o marido não desconfiam. Mas será mesmo? Parece que o próprio caso extra-conjugal equilibra o casamento. Geralmente, o homem ou a mulher não suportam fazer escolhas e querem tudo ao mesmo  tempo: manter o casamento e também o relacionamento extra. Mas tudo isso tem um preço!

O que você acha? Do que você tem mais medo ? De trair ou ser  traído?

Quando começa a traição? No ato de pensar. Pensou , já está traindo. Depois, pode vir a ação. Buscar o objeto da traição. Agora, entre o pensamento e a ação há uma longa distancia.

A monogamia vem da cultura , do ambiente, da educação e dos valores de cada um. O que pode ser traição para você não o é para outra pessoa.

Num  relacionamento estável e maduro, é natural que a confiança faça uma ligação forte. Por que procurar outra pessoa se você está amando? O amor nutre, fortalece. Geralmente, se estamos numa fase  boa do relacionamento não custamos trair.

No entanto, mesmo as mulheres tem segredos para contar. Algumas não traem por falta de oportunidade. Mantém relacionamentos maçantes e sofridos.  Outras sentem medo. Medo de correr riscos. Receio de trair a própria consciência.

Condenar quem traiu só pela traição em si, não está certo. A traição pode ser consequência. Não existem vítimas e algozes num relacionamento.  A responsabilidade de um relacionamento bom é de aproximadamente 50% de cada um.

Você  traiu a sua amada e está com o coração na mão? Tem medo de que ela descubra? Sente-se o pior dos homens, mas a oportunidade pintou? Aquela morena  bonita passou no pedaço e você não aguentou?

Traiu o namorado com o colega de trabalho? E agora, o que vai fazer?

A culpa somente não leva a nada. Pense no seguinte: pode voltar a acontecer. No entanto, só depende de você. Ama sua namorada ou esposa? Reflita. Não acha que com esse ato impensado estará comprometendo uma relação legal e bonita? Ou não está tão legal assim...

Você é o dono da sua vida e da sua felicidade. Não  tem que responsabilizar-se pela felicidade de ninguém. Pode tudo ou quase tudo, mas também por conta da sua maturidade precisa se responsabilizar por todos os seus atos. E, também, pelas consequências deles.

Chorar depois do leite derramado é tarde. Se a mulher descobriu a camisa cheia de batom... O que fazer? Negar até à morte? Contar a verdade e prometer que nunca mais vai fazer isso? Silenciar e fazer bem escondido para que ela nunca descubra?

Estar num relacionamento pode significar abrir mão de alguma coisa. Precisamos aprender a nos responsabilizar por nossas escolhas. Trair por trair pode ser fachada de um comportamento caótico e irresponsável.

Não existem segredos num relacionamento. Sabia? Há uma linguagem bem oculta no olhar, no abraço, até no tom das palavras. Um parece ler no outro e sentir a traição. Pode não ser descoberta, mas pode ser lida através dos sinais e do próprio comportamento.

Na verdade, estará traindo a si mesmo, quando busca em outra cama , a paz que não encontra dentro do seu relacionamento.

Quando é casual , até passa batido. O relacionamento acaba seguindo porque ninguém descobre. A reflexão ajuda no autoconhecimento.

Algumas pessoas aparentemente parecem conviver bem transitando entre dois relacionamentos. Isso pode durar anos ou até uma vida toda! É preciso uma boa dose de jogo de cintura para administrar os dois amores.

Algumas pessoas têm um caráter muito volúvel . Traem em todos os relacionamentos. Isso pode esconder uma insegurança e até medo de amar. Um grande mulherengo sedutor pode ser um homem inseguro e sofrido. E um homem sério e aparentemente fiel pode esconder dentro de si o vulcão do desejo e da aventura. Bastou surgir a oportunidade e pronto! "A carne é fraca!" Pode ser, mas a mente não é! A mente permite e a carne "oficializa", ´dá o aval.

Experimentar aventuras novas pode ser a causa. Vingar-se de uma traição, traindo também não resolve o problema.

Punir o homem ou a mulher porque traiu e deseja reatar também não é a estratégia certa. Quer a pessoa amada de volta? Ela está sinalizando que deseja tentar novamente e está arrependida. Ouvi um comentário de um psicoterapeuta famoso que a pessoa precisa ser premiada porque voltou e não, punida porque traiu.

A confiança no parceiro fica abalada. Mas, como disse John Gray nos seus best sellers, casais que enfrentaram grandes crises e ficaram juntos, após cinco anos ainda estão juntos. A cicatriz fica ,mas se houver amor, a crise fortalece a relação.

Se você traiu, não lamente o passado, mas pense no motivo. Por que traiu? Foi bom? Deseja manter o relacionamento de muitos anos ou não? Um comportamento amoroso geralmente é próprio de quem se entrega totalmente na relação.

Aquele que começa a trair , rompe um voto de confiança que pode não ser estabelecido , mas está intrínseco no relacionamento.

Lembre-se: a traição quando descoberta nem sempre é perdoada. Pode-se recomeçar , mas há um preço alto demais.

Pense bem. Entre o desejo e o amor de verdade, escolha o amor. Escolha um comportamento assertivo. Reprimir e não trair, mas se pegar morrendo de vontade e distante com a pessoa amada, também não é legal.

Se deseja manter um relacionamento, tem que saber que nem sempre ele estará gostoso ou apaixonante. Mas para que ele tenha mais momentos mais felizes do que sofridos, você precisa entrar com o coração todo na história de amor.

A lealdade geralmente inclui ser fiel. Primeiro consigo mesmo.

Assim, a assertividade com seus desejos e sentimentos, vai sempre atrair a felicidade.

Agora, se você desencantou de vez com a mulher amada ou com o homem amado, preferível romper do que trair.

Lembre-se de um ditado muito antigo mas que funciona bem: "Não faça aos outros o que não quer para si."


Sandra Cecília

 

Copyright © 2003-2009 Relax Mental
Sandra Cecília / Renato Augusto - Relax Mental - desde 13 de junho de 2003