Relacionamento - 11/08/2007
O pai digital




O pai da era digital  adora falar no celular com câmera e não  larga seu laptop.  Está sempre “ligado” no mundo! Pode-se dizer que é o homem da atualidade, mais prático, produtivo e, também, mais estressado! Não gosta de ficar parado. A informática faz parte da sua vida. Adora checar e-mails e ficar de olho no mundo moderno. Trocou o sapato social pelo tênis e a roupa clássica pelo Jeans. Não tem  um jeitão de pai; se parece mais com seu amigo mais velho do colégio. Mesmo assim, o “nosso” pai digital tem mais expectativa de vida. Percebemos,  no seu jeito de ser, a ânsia pela juventude. É vaidoso, cuida da pele e do cabelo. E, por que não? Está mais bonito! Esse pai digital adaptou-se à mulher moderna e independente.
   
         O pai digital pode ser um executivo sóbrio, que não abre mão da tecnologia avançada. Ou então, um operário esforçado, que voltou a estudar para obter mais chances de um futuro melhor. Nesse mundo moderno, os pais estão mais criativos. Mesmo os desempregados. Estes, sem perder a pose, criam outras maneiras para ganhar dinheiro e sustentar a família. São as crises que fazem o homem.
  
       O pai solteiro ou separado pode levar a namorada jovem a uma balada e encontrar com o filho adolescente. Ou mesmo curtir junto com o filho um esporte pra lá de radical!
 
       O pai digital pode até ter um namorado ou, quem sabe, à noite, seja uma “drag-queen”. Mais do que as diferenças de cada um, o que conta mesmo é o carinho e a dedicação devotada. Saber que pode contar com ele pro que der e  vier.
 
         Alguns pais não se adaptam ao mundo moderno. Sentem falta do passado. No entanto, a tecnologia afeta sua vida, porque o filho é digital. Enquanto o filho passa e-mail, o pai passa longe do micro. O filho manda torpedo, mas o pai não quer saber de celular! Você, que é filho da era digital, pode se aproximar do seu pai. Por que não?! Se ele não gosta de celular e nem de escrever e-mail, procure alternativa! Que tal uma carta se ele mora longe? Ou um cartão carinhoso? Pode até parecer difícil, mas entenda que nada substitui sua presença. Ela vale ouro!
 
         O pai moderno parece não ter muito tempo para ficar com o filho. Casado com o trabalho. A vida está difícil! Tempo é dinheiro!  Com a separação ou o divórcio, parece que o pai se distancia ainda mais: só pode ver o filho conforme a decisão do juiz. Ele  se torna uma visita. E o filho, da era digital, deve ter a consciência de que pai é sempre pai! Saberá fazer com que os encontros semanais  com o filho  sejam ricos de sentimento, presença e encanto. Dedicação na era digital não  tem  quantidade, mas qualidade! Agora, cada caso tem sua solução. Atualmente, o pai e a mãe podem assumir  a guarda dos filhos: guarda compartilhada. Bom para os pais e ótimo para os filhos.
  
        Pode parecer um paradoxo, mas há pai digital para todas as idades. Pai de  setenta e um anos  e o outro apenas de dezessete (71-17!). Aquele jovem  que ainda não saiu do tênis, nem do skate e já é pai. Inexperiente cabeça confusa. Perceberá que pode curtir a vida  mesmo com um bebê a tiracolo. A responsabilidade chegou na forma de um bebê chorão!
 
O pai digital estressado fuma demais e sofre de úlcera  ou do coração. Pensa que a fase é passageira e toma antidepressivo. Quer dar o melhor futuro para o filho. Tem mil expectativas. Alguns são mais carinhosos. Beijam e abraçam o filho. Outros, desconcertados, pensam em presentear, como forma de dizer: “te amo, filho, mas não consigo demonstrar.”
 
         O pai digital vai à academia. Precisa estar  em forma. Imagino-o com filhos do primeiro, do segundo casamento (e... por que não de um terceiro?). Apesar da herança brava da vida agitada, está mais preocupado com a saúde. Sabe que pode enfartar mais cedo e, por conta disso, presta maior atenção ao seu condicionamento físico. Não gosta de ganhar pijamas e, muitos menos, chinelos. Por que? Por que se sente na plenitude. Quer viver intensamente! É um jovem quarentão! Um cinquentão animado! Um sessentão charmoso! Um coroa bem moderno! Ou tem cara de menino. Parecem dois irmãos e, não, pai e filho!
 
       Pai digital, como todo pai,  tem medo da morte. Quer ver o filho crescer. Sessentão às voltas com fraldas e mamadeiras! Com certeza, o bebê é a maior curtição e o que lhe deixa mais vivo. Pode ser, ao mesmo tempo, pai e avô! O pai é digital, mas continua sendo pai. Impõe limites, dá sermões de vez em quando, ralha e chama a atenção do filho quando necessário! Deseja  ser amado e respeitado.
 
     Pensando bem, você que é filho de pai digital, em vez de passar apenas um e-mail para ele que mora longe, faça-lhe uma surpresa! Esqueça o mundo moderno um pouquinho. Volte à nostalgia de um tempo em que seu pai ganhava pijama, chinelo e gravata. Abrace o velho. Exteriorize sentimentos. Dentro do seu íntimo até que ele gosta de uma cadeira do papai para descansar e esquecer dos problemas!
 
     Vocês têm alguma diferença? Claro! Por que não conversar a respeito, de forma atenciosa e tolerante? Sabe, pai é pai! Convença-se de que ele é muito mais do que um amigo que vai com você à balada. O pai digital, certamente mais experiente,  gosta de respeito. Será uma camaradagem mais refinada. Regada à confiança. Não permita que  o conflito de gerações distancie você do seu pai! Coloque-se no lugar dele! Dê um pulo no futuro! Um dia, com certeza, você será pai também. Pode não ser o pai ideal, mas é um pai real! Com defeitos e qualidades!
 
    Ah!...Seu pai digital nem sabe que você existe? Ignorou seu nascimento e sumiu quando sua mãe mais precisava dele? Então, não é seu pai! Apenas um pai biológico. Você lhe deve a vida. Ele merece, pelo menos, uma prece. Ainda assim,  você deve ter alguém que o acompanhou bem de perto. Ajudou a cuidar de você, trocou suas fraldas ou o levou à escola. Pode ser um tio, um irmão mais velho ou mesmo algum amigo ou seu padrasto. Esse homem é seu pai de verdade! Merece sua gratidão e seu carinho.
 
   Você perdeu a mãe bem cedo e seu pai digital é “pãe”? (Mistura de pai e mãe?) Um paizão! Aproveite o dia  dos pais para lhe demonstrar todo o carinho. Os “pães” são versáteis: cozinham, lavam e passam. Leve seu pai a um bom restaurante. Deseje-lhe toda a felicidade do mundo e não tenha ciúme das suas namoradas.
 
    A vida digital aparentemente tornou as coisas mais fáceis. No entanto, o calor humano parece estar agora contido nos eletrônicos: computador, laptop, celular, tv de plasma, robôs e outras invenções eletrônicas. Será que não sobra um pouco do que temos de melhor para dividirmos no seio da família? Nada de emoções instantâneas e descartáveis. Dia dos pais e dia das mães é todo dia!
 
   Quer saber? Nada  o impede de optar pela simplicidade.  A simplicidade de um abraço. A singeleza do perdão se vocês estão brigados. O carinho de um almoço caprichado. A nostalgia de um cartão carinhoso.  Uma lembrança simples, mas que tocará o coração desse pai digital.
 
Mostre a ele o quanto  é importante. Mostre a ele que você o aceita do que jeito que ele é! Feliz Dia dos Pais!

Esse texto também está nas matérias especiais do site
GURUWEB.


Dedico esse texto ao meu filho Júlio César, pai pela primeira vez, da minha neta Giúlia de um ano e cinco meses.







Sandra Cecília

 

Copyright © 2003-2009 Relax Mental
Sandra Cecília / Renato Augusto - Relax Mental - desde 13 de junho de 2003