Relacionamento - 17/11/2007
O jogo lúdico no amor





No dicionário Aurélio lúdico é : relativo a brincadeiras, jogos e divertimentos.

O amor precisa do lúdico para se manter vivo e alegre. O lado jovial do relacionamento se mantém através da criatividade e do bom humor. Ver o outro com "os olhos da prosperidade", expressão usada por uma terapeuta. Deixar aparecer mais as qualidades do que os defeitos.

Ouvimos muito essa expressão:

"Tenho saudades da época em que ríamos juntos, brincávamos . Até na cama, a criatividade estava em alta! Agora.."

O que será que aconteceu com esse casal que perdeu a alegria de amar? O lado lúdico do amor é transmitido através da cumplicidade. Essa cumplicidade vem da proximidade e da intimidade. Estar íntimo é estar ligado. Sintonizado com o outro. Entrega. Tudo é espontâneo.

Quando acaba o lado jovial do amor? Acaba a fé no relacionamento. A crença de que está dando certo. O sentimento pode estar agonizando aos poucos. As cobranças aumentam: "Antes, você era assim e assado. Agora, não é mais!"

O jogo do bom humor e da criatividade tornam menos significativas as diferenças entre o casal. Não falo de um amor superficial, mas de um amor verdadeiro que precisa da criatividade e da imaginação. Há um ímpeto natural de agradar o outro. Fazer-lhe as vontades. Criar ambientes novos. Diálogo mútuo.

 Um casal que ri junto é um casal cúmplice. Quando você está à vontade com a pessoa amada, tudo flui mais fácil. As diferenças e brigas podem anuviar o céu do relacionamento ,mas passam logo. E o sol surge brincando com seu calor e seu fogo.

 Como resgatar o lado lúdico do amor? Como está sua criança interior? Guardada a sete chaves? Cheia de pudor e vergonha? Uma criança interior pode se esconder por conta da raiva no relacionamento amoroso . Quando a raiva se transforma em mágoa, as coisas complicam. Você não se mostra inteiro para o ser amado. Esconde seu lado mais espontâneo. Perde a confiança. A sua alma se retrai. Resolva a mágoa e os conflitos.

Discutir a relação pode resolver esse problema? Às vezes sim, no momento certo e, se a pessoa estiver disposta a ouvir a a mudar. A pessoa amada pode mudar durante o relacionamento amoroso? Pode sim. A cada dia que passa estamos mudando e nos transformando para melhor. Esse processo tem que ser espontâneo para ser duradouro. Se você muda só para agradar ao outro, não funciona. Não será uma mudança duradoura.

O lado lúdico do amor é tão atraente que melhora até a vida sexual. Ninguém vive sem a imaginação e a criatividade. Uma área enaltece a outra. Estando bem dispostos e alegres, tudo funciona melhor.

Se não há mais prazer em estar junto com a pessoa amada, perigo à vista! Sinal vermelho! Não se acomode, voltando ao passado:

"Ah, como era bom antes! Antes a gente fazia isso e aquilo!"

Ter saudades do passado não muda o presente e nem constrói o futuro. É preciso refletir acerca do que aconteceu. Como vivemos em contínua transformação um relacionamento amoroso não fica do mesmo jeito para sempre. E, nem sempre, isso é sinal de perigo. O amor estará sempre vivo, quando a cumplicidade estiver intacta. Quando você sente que a pessoa amada está junto. Quando a curiosidade sempre encontrar coisas novas na pessoa amada. E o mistério surgir fazendo uma nova história de amor. Sim, mistério. Quando o amor está vivo sempre há coisas novas a descobrir, brincar e se divertir.

Isso não significa que o relacionamento vá ficar superficial ou infantil mas terá um elemento a mais para se fortalecer durante as crises.

O afastamento emocional da pessoa amada é frustrante. Os dois vão se afastando cada vez mais até que o amor morre de uma vez.

Estimule o lado lúdico do amor:

Ressalte as qualidades da pessoa amada.

Cultive amizade com pessoas otimistas e alegres.

Brinque e ache graça das pequenas coisas do dia a dia.

A chatice pode acabar com o seu relacionamento. O que vem no pacote da chatice: insistência, crítica negativa em demasia, implicância, queixas excessivas, mutismo.

Sorria mais.

Cultive o bom humor.

Dance com a pessoa amada.

Assista comédias.

Quando puder viaje com a pessoa amada.

Não esconda sentimentos, mas também não seja um livro totalmente aberto. A cada página lida há sempre mais para ler.

Desenvolva a imaginação na hora do sexo.

Entregue-se de corpo, alma e coração na hora do prazer.

Cuidado com o excesso de crítica que pode magoar a pessoa amada.

Faça sempre um auto-exame interior.

Ficar emburrado sempre não resolve problemas. Fale o que está sentindo, é preferível. A pessoa amada não adivinha seus pensamentos e estará diante de uma crescente falta de comunicação entre o casal.

Deixe que sua criança interior brinque e se divirta com a pessoa amada.

Não leve a vida tão a sério. Não exija tanto de você mesmo e do seu amor. Pegue leve, às vezes.


O amor pode ser delicioso quando vivido assim espontâneo, mágico e alegre!


Sandra Cecília

 

Copyright © 2003-2009 Relax Mental
Sandra Cecília / Renato Augusto - Relax Mental - desde 13 de junho de 2003