Verinha Verdadeira - 05/03/2008
Homenagem ao Dia Internacional da Mulher

Ser mulher!





Adoro! Amo ser mulher. Já era o tempo que a mulher era uma boba que chorava à toa. Agora não. A mulher é inteligente. Chora porque é sensível. Chora porque compreende o motivo das suas lágrimas.

No tempo da minha tataravó , a mulher chorava de frustração. Era reprimida. Os homens eram os provedores. Senhores. Ela não devia estudar e nem votar. Apenas cuidar da casa e pronto. Gerar uma prole considerável de filhos. Homens, certamente, para a vaidade dos seus maridos. Marido ou senhor? Bem, lá no tempo do "onça" não era marido , era patrão.

A mulher chorava escondido é óbvio. Às vezes de paixão recolhida. Doída. Minha tia, por exemplo. Noivou. O noivo lhe mandava cartas apaixonadas. Lembro-me que, um dia, essa mulher maravilhosa leu uma dessas cartas. Minha tia já estava muito idosa. Os cabelos alvos e finos, mas o olhar brilhante. Um dia , ela me contou tudo:

"- Não pude me casar com o Geraldo. Perdi minha mãe muito cedo. Meu pai me pediu para desistir do noivado para cuidar dos meus seis irmãos."- vi uma lágrima nos seus olhos.

Olhei para titia com ar de compaixão. Admiração. Orgulho. Foi um ato de grande renúncia. Se fosse hoje, não seria mais necessário. Ela não precisaria abdicar da sua vida amorosa para cuidar dos irmãos. Antes a vontade do homem não podia ser questionada.

Algumas mulheres avançaram no tempo. Ousaram. Estudaram. Protestaram. Algumas até exageraram no seu feminismo. Parecia até uma guerra das mulheres contra os homens. Menos! Nem tanto!

Homens e Mulheres- diferenças que se completam. Talentos admiráveis. Hoje, mulher é motorista de caminhão. Piloto de jato. Vai até para à guerra se for necessário.
No entanto, ainda somos mulheres. A essência biológica feminina corre em nossas veias. Agitando o sangue com o carinho desvelado da maternidade.

Hoje, algumas mulheres estão fazendo o caminho de volta. Encontrando prazer nas tarefas cotidianas como: cuidar de uma casa, do marido. Existe plena felicidade nos cuidados com um lar. Por que não? O preconceito com as tarefas do lar está ultrapassado! A mulher encontra prazer naquilo que é natural para ela. Naquela tarefa que faz parte da sua essência. No seu bem querer.

Hoje também, a mulher não é mais escrava do lar. Ela ama seu lar. Se você ama o que faz , torna-se prazeroso.

Um dia, uma amiga minha chegou em casa e me encontrou lavando roupa no tanque. Minha máquina de lavar turbinada e eletrônica havia pifado. Como sinto saudades da máquina antiga da minha mãe! Funcionava bonitinho!

Eu assoviava uma música popular brasileira enquanto a espuma de sabão saltitava nas minhas mãos molhadas. Fazia uma técnica de relaxamento de RELAX MENTAL com espuma de sabão. Já tentaram? Muito legal!

- O que, Verinha ? Lavando roupa em pleno século XXI? - observou ela com ar irônico.

Olhei para ela com ar de estranheza:

- Pois é , Berê. Mesmo no século XXI as roupas sujam, sabiam? Adoro fazer isso quando posso e QUANDO PRECISO, é claro! Minha máquina de lavar pifou!

- Por que a faxineira não faz essa tarefa? - ela perguntou. - Está perdendo tempo. Eu não trocaria a academia por um tanque de roupas sujas. Fiquei esperando você por lá um tempão, Verinha! - queixou-se amuada.

- Acontece, Berê, que minha faxineira faltou ONTEM E HOJE também.

- Como faltou? - tornou insistir Berê.

- Faltou, porque é humana. Um dos seus filhos está com DENGUE, mas ela me avisou.

Berê desconversou, mas continuou me olhando como se eu fosse um alienígena.

Voltei aos meus afazeres. Cantarolando mais alto. Minha amiga foi embora falando sozinha.

Falo alto e em bom tom: "Adoro lavar roupa! E daí?"

Atualmente, nós , mulheres podemos ser o que desejamos. E pronto!

E você? Consegue ser autêntica? Mulher de verdade?

A mulher de verdade é o que é!

Seja lavando roupa, pilotando avião ou fazendo um parto.

Exultando de alegria quando coloca um anel de noivado no dedo anular!

Sonhando com o diploma de cientista!

Trabalhando como voluntária numa favela!

Pintando uma tela a óleo!

Esperando o namorado na varanda!

Criando netos como se fossem seus filhos!

Cortando a cana de açúcar debaixo do sol causticante!

Fazendo um poema!

Pedindo o divórcio e sonhando com um futuro melhor!

Casando com o homem da sua vida!

Deprimida por conta da famosa tensão pré-menstrual!

Decidindo ou não fazer reposição de hormônios na menopausa.

Chorando de raiva, porque o namorado lhe deu um cano!

Cuidando de uma pessoa idosa!

Acumulando empregos para pagar os estudos de um filho!

Chorando de alegria porque foi pedida em casamento pela segunda vez!

Plantando uma horta!

Dirigindo um trator!

Cozinhando macarrão para o almoço de domingo!

Organizando um evento para seu partido político!

Apresentando um programa de televisão!

Escrevendo uma novela!

Desbravando uma selva para uma pesquisa científica!

Adotando um animalzinho órfão!

Fazendo sopa para mendigos de rua!

Acreditando na alma gêmea!

Orando com fervor num convento de clausura!

Jogando búzios numa tenda de candomblé!

Fazendo acarajé! Feliz da vida!

Contando uma história da carochinha para seu bebê dormir.

Tirando carteira de motorista após os sessenta anos!

Sonhando e lutando para ser presidente do Brasil!

Desbravando a estrada no seu caminhão possante!

Combatendo o crime numa delegacia!

Acompanhando o marido nas reuniões dos Alcoólicos Anônimos.

Visitando o filho numa penitenciária.

Sonhando sempre, sempre e sempre com uma vida melhor e mais feliz!

Acolhendo no seu regaço materno todos os que precisam de amor!

Mulher é mulher!

"VIVA NÓISSSSSSSS!"





Verinha Verdadeira


Sandra Cecília

 

Copyright © 2003-2009 Relax Mental
Sandra Cecília / Renato Augusto - Relax Mental - desde 13 de junho de 2003