Relacionamento - 29/06/2010
Qualquer forma de amar vale a pena?





Cada um tem o amor que merece e a solidão que necessita. A felicidade no amor depende de vários fatores. Algumas pessoas desejam se casar e conviver todos os dias com a pessoa amada. Querem formar uma família e ter filhos. Outras preferem uma relação mais informal como morar junto.

Outros relacionamentos são diferentes, mas nem por isso, com menos amor. Preferem encontros ocasionais e se sentem felizes assim.

Casais apaixonados se encontram dentro de um quarto de motel. Vivem um amor que jamais poderá ser visto à luz do dia porque é secreto.

Outros relacionamentos são apenas virtuais. Convivem apenas com e-mails, cartões e chats. Esse amor diferente o conta com o bate-papo virtual, imagens da web cam e a imaginação. Algumas pessoas se sentem felizes apenas vivendo um amor virtual. Até quando? Não se sabe.

Outros casos sobrevivem às custas de telefonemas longos. Basta ouvir a voz do outro e saber como ele está. Contar com esse amor quando se está triste, nervoso ou desiludido. Não se manifesta o desejo de viver esse amor em plenitude, olho no olho. Vivem mergulhados no sonho de amor à distancia.
Alguns casais vivem seu amor dentro de um salão de baile no ritmo do bolero e do samba. Não precisam se encontrar todos os dias e nem dividir as mesmas contas ou os mesmos problemas. Querem apenas o lado light do amor no cenário da música.

Se você vive um amor diferente das regras pré-estabelecidas pela sociedade faça um profundo exame de consciência. Sente-se feliz amando dessa forma? Ou vive à espera de que o outro se declare, lhe peça em casamento ou marque um encontro? A ansiedade vive nesse relacionamento? Se for assim esse relacionamento diferente não serve para você. Procure a forma de amar em que se sinta correspondido em seus anseios.

A frase mais sábia nos casos de amor é:

“Um relacionamento tem que estar bom para ambas as partes”.
É assim que se mede o termômetro do afeto. Avalie como estão suas emoções. O amor em plenitude traz felicidade e emoções positivas. A palavra sacrifício, renúncia não deve existir num relacionamento amoroso seja ele qual for.

Ele tem que fluir espontâneo como um rio que contorna os obstáculos, mas não sacrifica sua nascente pura e límpida.

Para viver o amor adequado à sua estrutura emocional precisa saber o que você quer da sua vida. E isso só é possível quando estamos equilibrados no pensar, no sentir e no agir. Tem que haver um certo equilíbrio das suas emoções.

Precisa haver autoestima em alta. Amor próprio. Dignidade. Liberdade.Coragem para viver um amor diferente.Às vezes, muita coragem para conviver com o preconceito.

Correr riscos também faz parte do amor, mas você está preparado para as conseqüências?

Viva seu amor de forma intensa e seja feliz à sua maneira desde que não prejudique ou sufoque a maneira de amar da pessoa amada.


Sandra Cecília

 

Copyright © 2003-2009 Relax Mental
Sandra Cecília / Renato Augusto - Relax Mental - desde 13 de junho de 2003